Rio, 1 (AE)- O presidente da holding Telemar, Manoel Horário da Silva, disse hoje que o balanço anual da empresa deverá ser divulgado até o dia 25 de janeiro. Horácio adiantou que o faturamento líquido da companhia em 99 deverá ficar em torno de R$ 6,2 bilhões. Questionado sobre o processo de reestruturação societária, o presidente da Telemar afirmou que a empresa ainda estuda um modelo para fusão das 16 operadoras. A idéia, segundo ele, ainda é unir as operadoras em uma única empresa ou em alguns núcleos de empresas. A Telemar, no entanto, segundo Horácio, descarta a realização de uma operação similar à da Telefonica.
"Como não somos uma empresa estrangeira, não haveria atrativo para troca das ações das operadoras pelo papel da holding", ressaltou. Ele observou, no entanto, que não há pressa para a possível fusão. "Devemos passar este ano estudando, já que não há nenhuma obrigatoriedade de chegarmos a um modelo ainda em 2000", disse o presidente. Já em relação ao segmento de Internet, o presidente da Telemar disse que ainda não há nenhuma estratégia para transformar essa área em uma empresa, como estão fazendo algumas companhias. "A estratégia da Telemar é atrair tráfego através da Internet para o fornecimento da linha telefonica", comentou, descartando também a possibilidade de se tornar um provedor. "O que poderemos fazer são associações com empresas de Internet".
Investimento - O presidente da Telemar, Manoel Horácio da Silva, explicou que, dos R$ 2,9 bilhões que serão investidos este ano, R$ 500 milhões virão de financiamentos conseguidos junto ao BNDES, R$ 800 milhões de financiamentos obtidos junto a fornecedores e o restante do caixa das 16 operadoras. As companhias que não tiverem caixa suficiente, explicou, poderão captar empréstimos junto à própria Telemar ou no mercado. A Telemar-Rio deverá investir cerca de 40% dos R$ 2,9 bilhões.