Ex-fuzileiro naval acusado de deserção é "resgatado" de delegacia e levado para quartel da Marinha2/Mar, 17:59 Por Carlos Mendes, especial para a AE Belém, 02 (AE) - O ex-fuzileiro naval e especialista em material bélico, Tibúrcio Bolinia França, de 36 anos, foi resgatado, hoje, de dentro da Delegacia Policial de Icoaraci, na periferia de Belém, por um pelotão de 15 fuzeliros navais fortemente armados. França, que havia sido preso após espancar um vendedor, foi levado para o quartel da Marinha de Guerra, em Belém. Foragido de São Paulo, onde teria praticado dois homicídios, o ex-fuzileiro era procurado havia nove anos, acusado de deserção. O argumento para a invasão da delegacia foi de que França é um homem "extremamente perigoso e violento", segundo avaliação do tenente que comandava o pelotão. "Ele era procurado em todo o Brasil", resumiu o oficial, que não quis se identificar. De acordo com o delegado Ailton Farias, o ex-fuzileiro foi preso depois de espancar com um terçado o francês Jean Marie Weckerlin, vendedor de cocos na praia do Cruzeiro, em Icoaraci. França deu muito trabalho aos policiais. "Ele lutou com oito, bateu em três soldados da PM, agrediu um sargento e deu várias cabeçadas em três investigadores, atirando todos no chão", contou o delegado. Depois de dominado e algemado, França foi recolhido a uma cela, onde continuou a causar problemas, ofendendo os policiais. Até então, ninguém na polícia sabia que o acusado era desertor da Marinha. Isso ficou claro quando um caminhão com 15 fuzileiros desceu em frente da delegacia e cercou o prédio. O delegado protestou contra a invasão dos fuzileiros, mas acabou liberando França, depois de fichá-lo criminalmente por agressão e desacato à autoridade. O ex-fuzileiro está preso incomunicável no quartel do 4º Distrito Naval. Ele deve ser julgado por um Conselho de Justificação. Sua ficha policial começou a ser levantada em São Paulo, de onde teria fugido após matar duas pessoas.