Maceió, 1 (AE) - O ex-deputado Talvane Albuquerque foi preso no início da madrugada de hoje e foi levado de volta ao presídio de segurança máxima Baldomero Cavalcanti, que fica na periferia de Maceió. Ele estava em liberdade condicional há um mês, depois de passar quase um ano recolhido em cela especial, acusado de ser o mandante do assassinato da deputada federal Ceci Cunha (PSDB) e mais três parentes dela. A chacina ocorreu em dezembro de 98. Talvane estava sendo procurado desde o início da noite de ontem, após ter a sua prisão decretada pelo presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Orlando Manso, atendendo ao mandado de segurança impetrado pelos advogados da família da deputada assassinada.
Trinta homens da polícia civil, divididos em cinco equipes, participaram das buscas ao ex-deputado, depois que ele não foi localizado em sua residência, na praia de Ponta Verde. O advogado de Talvane, Aimberê Arruda, disse hoje pela manhã que está em Brasília para tentar uma audiência com o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Hamilton Carvalhido, relator do seu pedido de habeas-corpus preventivo, impetrado há 15 dias. "Vou pedir que esse habeas-corpus seja transformado em liberatório, porque meu cliente foi preso e a medida preventiva agora não tem mais valor", afirmou Arruda. Para ele, mandado de segurança acatado pela Justiça de Alagoas "não tem cabimento".