Celiana Lúcia da Silva tem 48 anos e é negra. Ela teria sido alvo de injúrias raciais em uma faculdade particular de Londrina. A mulher, que cursa o quarto ano de Direito na instituição, contou que foi ofendida por colegas de turma. As informações são da RPC TV.

Celiana afirmou que eles usaram um grupo do WhatsApp no dia dois do mês passado para ofendê-la. Nas mensagens virtuais, os alunos falaram sobre a cor da pele e as roupas que a vítima usava em sala de aula.

A universitária passou as trascrições das mensagens à Polícia Militar, que foi até a faculdade na manhã desta segunda-feira identificar os responsáveis pelas ofensas.

"Eu não quero que isso fique impune. Nós estamos no quarto ano da faculdade de direito. Eles conhecem a lei e sabem que esse tipo de chacota é uma humilhação. Sofrer bullying ou preconceito em sala de aula é horrível", lamenta a universitária, que também é professora de Matemática da rede pública estadual e possui outras três graduações.

Por meio do WhatsApp, os colegas de turma comentaram uma foto tirada dentro da sala de aula.

Imagem ilustrativa da imagem Estudante de Direito teria sofrido racismo de colegas de turma em Londrina
| Foto: Reprodução/RPC TV



Em uma das mensagens, alguns colegas de turma comentam uma foto tirada dentro da sala de aula. "É o pé da Celiana", diz um deles. "Com meia ou sem meia?", indaga outro, referindo-se à cor da pele da vítima.

A Polícia Civil vai abrir um inquérito para apurar o caso. Os responsáveis pelas mensagens serão convocados para prestar depoimento. Eles devem responder por injúria racial. (com informações da RPC TV)