Agência Estado
Seis africanos foram encontrados mortos, ontem, nos porões do cargueiro Karonga, de bandeira liberiana, que está descarregando 8,5 mil toneladas de cacau no porto de Ilhéus, sul da Bahia. Eles viajavam clandestinamente, sem documentos, e morreram provavelmente envenenados pelo produto tóxico ‘‘gastoxim’’ que é pulverizado nos compartimentos de carga do navio para proteger o cacau de insetos.
Os corpos foram descobertos quando os estivadores começaram a retirar a carga. Um forte odor exalava dos porões devido ao estado de decomposição dos cadáveres. O Karonga saiu do porto de Abdijam, na Costa do Marfim, África, há dez dias e chegou a Ilhéus no início da semana.
A tripulação encontrou durante a viagem um sétimo clandestino que sobreviveu por não ter entrado nos porões. O homem, cuja identidade não foi revelada, não fala português. Ele deve ser deportado para a Costa do Marfim.
Agentes da superintendência da Polícia Federal de Ilhéus colheram as impressões digitais dos mortos, que serão enviadas à polícia de Costa do Marfim para identificação.