Rio, 04 (AE) - A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) liberou as empresas-espelho para lançarem seus serviços antes da data estipulada, 10 de janeiro. A Vésper, espelho da Telemar, iniciará suas operações amanhã (05), em Macapá e Boa Vista. Mas a Vésper São Paulo (da Telefônica) e a Intelig (da Embratel) optaram por manter o cronograma de 10 a 24 de janeiro para entrar no mercado.
Inicialmente, a Anatel havia determinado que as empresas-espelho começassem a vender seus serviços até 31 de dezembro do ano passado. Por medo do bug do ano 2000, a agência adiou a programação. Mas, como o setor de telefonia virou o ano sem inconvenientes, as operadoras foram autorizadas a retomar seus trabalhos logo depois do réveillon. "Soubemos disso na segunda-feira", explicou o vice-presidente da Vésper, Rafael Steinheuser.
Até 24 de janeiro, a Vésper atenderá às 16 capitais de sua área de cobertura, inclusive Rio de Janeiro e Belo Horizonte
e a 13 municípios com mais de 200 mil habitantes. A operadora oferecerá, além dos planos residenciais tradicionais, serviços pré-pagos e planos para empresas.
Para consumidores residenciais, comprar um telefone da Vésper será mais caro do que adquirir uma linha da concorrente Telemar. O plano básico da Vésper terá uma taxa de ativação de R$ 343,69, em Macapá, e de R$ 382,23, em Boa Vista, e assinatura mensal de R$ 17,29 e R$ 19,23. A Telemar cobra R$ 63,01 para habilitação e instalação de linhas no Estado do Amapá e R$ 70,08 em Roraima.
"Queremos diferencial a Vésper pela qualidade dos serviços", afirmou o vice-presidente. A Vésper cobrará as chamadas por minuto, enquanto a Telemar usa o sistema de pulsos - contados na hora em que a ligação é completada e, depois, a cada quatro minutos.
Em Macapá e Boa Vista, a empresa-espelho venderá serviços de telefonia por cabo. Mas, na maioria das outras cidades, será oferecido também o sistema de Wireless Local Loop (WLL), telefonia fixa sem fio, como nos celulares, tecnologia já explorada pela Telemar. O Rio de Janeiro terá os dois sistemas.