Embratel monta esquema para combater "hackers"2/Mar, 15:15 Por Denise Carvalho São Paulo, 02 (AE) - A Empresa Brasileira de Telecomunicações (Embratel) vai lançar em maio um pacote de serviços de configuração e gerência de redes para empresas que usam sua infra-estrutura de acesso à Internet, na tentativa de conter ataques de "hackers", os invasores de sites da rede mundial. Em parceria com a subsidiária da norte-americana Internet Security Sistems (ISS) para a América do Sul, a Embratel contará com centro de operações e gerenciamento remoto, pelo qual detectará a invasão de intrusos para dar início ao processo de resposta aos ataques, que poderá culminar em investigação. As empresas não divulgam os investimentos para a implantação do serviço. Segundo o diretor técnico da ISS, Marcelo Bezerra, uma equipe de 50 expecialistas sediados no Brasil deve monitorar os ataques, a vulnerabilidade dos sistemas de rede das empresas, as técnicas e ferramentas utilizadas pelos "hackers" em toda a América do Sul. Eles estarão conectados 24 horas por dia com uma equipe de aproximadamente mil funcionários da ISS em todo o mundo. De acordo com Bezerra, será uma tentativa de antecipar os movimentos dos "hackers". Desde a instalação da ISS no Brasil, em maio de 1999, cerca de 50 empresas já experimentam o serviço da empresa. A partir de maio, a parceria com a Embratel também permitirá a implementação e gerenciamento de segurança, além dos serviços oferecidos, como avaliação dos sistemas de rede e treinamento de pessoal para gerenciamento dos projetos de segurança construídos para as empresas. Marcelo Bezerra informa que os serviços vão baratear os custos das companhias, mas não revela cifras. Prejuízos - O diretor-técnico da ISS calcula, com base em pesquisa da empresa americana Yankee Group, que os ataques só nos Estados Unidos somaram prejuízos de aproximadamente US$ 1,2 bilhão em fevereiro. A Yankee avalia que as perdas financeiras foram resultado de uma demora de aproximadamente 2h45 a 5 horas para a restauração da conexão dos sites invadidos. Entre os dias 7 e 9 do mês passado, os sites Yahoo!, Amazon e CNN, entre outros grandes, amargaram os danos. Bezerra não tem indicadores que demonstrem os prejuízos causados no Brasil por conta de "hackers", mas calcula que em fevereiro, só nas empresas onde a ISS atua, mais de 40 sites foram atacados. "Como parte do dinheiro do mercado financeiro está migrando para a Internet, é comum que os ladrões também passem a roubar pela Internet", avaliou Bezerra. Segundo ele, atualmente está mais fácil encontrar em sites da internet ferramentas e explicações de como atacar uma empresa.