Rio, 07 (AE) - Pela primeira vez, o deputado cassado Sérgio Naya teve torcida a favor no Rio. Moradores de municípios mineiros do reduto eleitoral de Naya - Laranjal (terra natal do réu), Cataguases, Leopoldina, Juiz de Fora - fretaram ônibus para "prestar solidariedade" ao empresário durante o depoimento na 33.ª Vara Criminal. "Todos têm o direito democrático de protestar, mas eles foram pagos pelo Naya para vir aqui e nos provocar", acusou o ex-morador do Palace 2, Sérgio Ricardo de Almeida.
Dizendo-se amigos e eleitores de Naya, eles negaram ter recebido dinheiro para viajar - alguns faltaram ao trabalho e enfrentaram até 700 quilômetros de estrada. "Em troca do apoio a Naya, espero gratidão e bem-feitorias para a região", reconheceu o radialista Edson Moura Montana, de Leopoldina. Ele disse que os manifestantes viajaram espontaneamente e pagaram entre R$ 65 e R$ 75 pela passagem. Mas, segundo o administrador Leovaldo Nunes, a passagem custou R$ 35 e os mineiros se encontraram "por coincidência" no fórum. "Todo mundo sabia que o depoimento estava marcado", alegou.
Nunes protagonizou um dos tumultos que marcaram o interrogatório de Naya. Defendendo a inocência do réu, ele acusou os ex-moradores do Palace 2 de tentar "enriquecer ilicitamente". "A intenção do deputado era indenizar todo mundo, mas eles estão pedindo muito mais do que têm direito", afirmou. "Naya é um homem honrado". A declaração irritou o adolescente Pedro de Alencar Martins, que tentou agredi-lo e foi contido por ex-moradores do Palace 2. "Isso é maldade com o menino", defendeu-o Sérgio Ricardo de Almeida.
Apesar de garantirem que a intenção era a de apoiar Naya
não houve manifestação pública e poucos quiseram falar. A maioria se esquivava de dar entrevista e uma mulher chegou a empurrar o microfone de uma emissora de televisão. "Eu vim aqui porque eu quis", limitou-se a dizer. Pelos cálculos de Montana, 600 pessoas viajaram para o Rio em dez ônibus, mas apenas dois veículos foram vistos próximo ao fórum e menos de 30 pessoas se amontoraram no corredor.