Nova York, 29 (AE-DOW JONES) - O dólar subiu frente ao euro e ao iene em Nova York nesta terça-feira (29). De acordo com traders, a moeda européia continua muito volátil.
Na segunda-feira, durante a sessão asiática, o euro chegou a cair a US$ 0,9390 - mínima histórica - recuperando-se depois na sessão européia tanto ontem quanto hoje.
Segundo analistas, um grande número de ordens especulativas, confundidas como uma intervenção do Banco Central, deu o impulso para a recuperação do euro pela manhã.
Contudo, seguindo o padrão de ontem, o euro não conseguiu sustentar-se e voltou a cair ao final da sessão em Nova York.
Se as autoridades monetárias do Banco Central Europeu estavam procurando um motivo para elevar as taxas de juro da zona do euro na reunião desta quinta-feira, hoje, eles encontraram um.
Pela manhã, o Eurostat (escritório de estatísticas da União Européia) informou que, em janeiro, houve um aumento de 2,0% (em bas es anuais) no índice de preços ao consumidor da zona do euro
de 1,7% registrados em dezembro e 0,8% em janeiro de 1999.
A elevação dos custos de energia também pressionou para cima os preços ao consumidor em diversos estados da Alemanha, de acordo com outros indicadores divulgados hoje. As autoridades do BCE não têm dado nenhuma indicação de que pretendem elevar as taxas de juro da região.
Segundo analistas, foram declarações alertando contra a possibilidade de alta do juro que provocou a queda acentuada do euro até a mínima histórica de US$ 0,9390. Embora o aumento da inflação seja, em grande parte, creditado à elevação dos preços de petróleo, os investidores passaram a alimentar expectativas de uma alta de 25 pontos-base nas taxas de juro da zona do euro.
"Uma semana atrás eu diria que o BCE não elevaria o juro. No entanto, depois dessa nova queda do euro e dos números de inflação há uma grande probabilidade disso ocorrer", disse Kathy Jones, analista de moedas da Prudential Securities em Nova York.
O iene continua sendo o principal beneficiado por essa fraqueza do euro, apesar das notícias negativas sobre a economia japonesa.
Uma nova pesquisa divulgada nesta terça-feira revelou uma piora no sentimento empresarial do Japão no bimestre janeiro/fevereiro em relação a igual período de 1999.
Além disso, a produção industrial japonesa cresceu apenas 0,9% em janeiro, enquanto que o gasto de consumo caiu 3% em janeiro em relação a igual mês de 1999.
Apesar desses indicadores, o índice Nikkei 225, da Bolsa de Tóquio, fechou em alta de 1,2%, o que deu suporte ao iene para manter-se firme frente ao dólar.
A moeda norte-americana foi incapaz de quebrar a variação 109 00/110,00 ienes, apesar da forte performance de Wall Street.
No fim da tarde em Nova York, o iene estava sendo negociado a 110,18 por dólar, de 109,48 por dólar ontem; o euro era negociado a US$ 0,9653, de US$ 0,9717 ontem.