Rio, 06 (AE) - Dois homens encapuzados e armados de pistola executaram nesta madrugada o guardador de carros Antônio Ricardo Cardoso Bandeira, de 33 anos, e seu filho, Jone dos Santos Bandeira, de 11 anos. Os criminosos invadiram a casa da vítima , em Campo Grande, na zona oeste do Rio. O outro filho de Bandeira, átila, de 13 anos, baleado na perna direita, conseguiu escapar fingindo estar morto. A polícia suspeita de que o motivo do crime tenha sido vingança.
A mulher de Bandeira, a doméstica Rejane dos Santos, de 36 anos, disse em depoimento aos policiais da 35ª Delegacia Policial (Campo Grande), que no Natal Jone discutiu com um menino, vizinho do bairro. A discussão foi acompanhada por Bandeira que, para defender o filho agrediu o outro menino. A vizinha o ameaçou. Rejane disse não saber o motivo da briga e acrescentou que o marido já esteve envolvido com drogas.
Rejane contou que na hora do crime a família dormia. O casal e o filho Jone estavam na sala, enquanto no quarto encontravam-se átila e os irmãos Guilherme, de 7 anos, e Peterson, de 5 anos. Ela disse ter pedido para que os bandidos não atirassem nos filhos menores. "Foi horrível ver o meu pai e meu irmão mortos", lembrou Guilherme.
Segundo a doméstica, Jone morreu ao tentar proteger o pai. átila foi atingido na perna direita e ficou deitado fingindo estar morto. Ele foi socorrido por vizinhos e levado para o Hospital Rocha Faria, onde ficou em observação até o final da tarde de hoje.
De acordo com vizinhos, o casal era tranquilo e morava há dois anos na casa - na rua Corema, no bairro Santa Margarida."Nunca tivemos problemas com eles e eram pessoas agradáveis", disse a dona de casa Marlene Silva, de 53 anos. No local do crime, a polícia apreendeu várias cápsulas deflagradas de pistola nove milímetros.