Pouso Alegre, MG, 06 (AE) - A ajuda oficial ainda é apenas uma promessa na maior parte das cidades atingidas pela enchente no sul de Minas Gerais. Por enquanto, o que ameniza o sofrimento das vítimas é a ajuda que chega de diferentes partes do País. Empresas, igrejas e entidades comunitárias fazem campanhas para recolher doações.
A Telemig Celular cedeu aparelhos para cincos dos municípios onde a comunicação pela rede fixa ainda está complicada. Os telefones móveis estão sendo usados nos abrigos e nos postos de coordenação da Defesa Civil. Funcionários de lojas da companhia telefônica nas cidades alagadas foram liberados para trabalhar no auxílio às vítimas.
A Unimed está liderando, junto com outras empresas de Belo Horizonte, uma campanha para doação de medicamentos. A Adrian doou macarrão, a Leocoton mandou arroz e outras indústrias alimentícias já anunciaram suas doações. A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Femig) ofereceu pessoal para ajudar os empresários que precisam tirar equipamentos de galpões alagados.
Em Alfenas, a cerca de 90 quilômetros da região mais atingida, a comunidade lançou a campanha SOS Sul de Minas para recolher doações de alimentos não perecíveis e roupas. "A solidariedade é impessionante", afirmou a secretária de Educação de Santa Rita do Sapucaí, Rosemary Bueno. "Temos de agradecer muito."