Brasília, 05 (AE) - O Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER) liberou hoje R$ 3,6 milhões para que os distritos rodoviários de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo façam obras de conservação nas rodovias federais atingidas pelas chuvas. O diretor-executivo substituto de engenharia o órgão, Dirceu Façanha, o envio destes recursos, previstos no orçamento de 1999, estava autorizado desde a segunda quinzena de dezembro pelo Ministério dos Transportes, mas eles ainda não estavam à disposição.
O DNER identificou hoje 15 trechos com problemas nas principais rodovias da região do Vale do Paraíba, que abrange os Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A diretoria do DNER orientou os distritos rodoviários a utilizarem os contratos de conservação rotineira das estradas para resolver os problemas emergenciais, como desobstrução de pistas por quedas de barreiras e encostas. Por estes contratos uma empresa recebe por obra de conservação realizada.
Minas Gerais é o Estado que tem a maior malha de rodovias federais e o que apresentou um número maior de problemas com as chuvas dos últimos dias. Para a região foram liberados R$ 1,7 milhão. O levantamento do órgão, feito hoje à tarde, identificou dois trechos de estradas interrompidos em MG - perto da cidade de Jesuânia havia 1 metro de água pista e entre Caxambu e Itamonte houve várias quedas de barreiras. O trânsito estava precário em outros cinco trechos de diferentes rodovias mineiras.
No Rio de Janeiro, para onde foram destinados R$ 1,6 milhão, o DNER identificou outros quatro trechos com tráfego precário. O distrito de São Paulo receberá R$ 300 mil e tinha, segundo o balanço de hoje, dois trechos com tráfego precário, um na BR 459, entre Lorena e Itajubá, e na Rodovia Presidente Dutra
na divisa de Minas com São Paulo. O governo ainda não tem um levantamento dos custos para recuperação de todas as estradas danificadas. "Só saberemos os prejuízos quando as águas voltarem ao normal", disse Façanha.
Até hoje nenhum distrito rodoviário regional havia decretado estado de emergência para uma rodovia de sua jurisdição. Os casos de emergência permitem a contratação de empreiteiras sem a necessidade de licitação. Segundo o diretor-executivo substituto, os casos de emergência só podem ser decretados quando a estrada fica totalmente intransitável, por quedas de pontes ou deslizamento total de um trecho da pista.