Diagnóstico do setor de plástico revela urgência na renovação das máquinas2/Mar, 17:14 Por Viviane Mottin São Paulo, 02 (AE) - Um dos resultados do diagnóstico sobre a cadeia produtiva de plásticos, feito pelo Ministério do Desenvolvimento junto a representates do setor petroquímico e de trabalhadores, é que as empresas transformadoras de plásticos terão que substituir 12,5 mil máquinas dentro dos próximos cinco anos. O Brasil possui cerca de 15 indústrias de máquinas para transformação de resinas em bens de consumo plástico. "Elas têm tecnologia avançada, mas a capacidade instalada de todas juntas não conseguiria suprir esta demanda nem se o prazo para a modernização do parque industrial dobrasse", observa o presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), Merheg Cachum. A solução, diz ele, é o governo reduzir a atual alíquota de 19% para a importação de máquinas. E o financiamento para a compra das máquinas seria outro impedimento, enquanto as indústrias do setor não conseguirem aderir ao Refis - programa do governo federal para o refinancimaneto das dívidas das empresas com a Receita Federal. A maioria delas está no Cadastro dos Inadimplentes (Cadin) da Receita Federal, o que as impede de pleitear empréstimos no BNDES. As indústrias de plásticos reivindicam a revisão sobre a garantia de pagamento dos débitos com o leão. Isso, porque a maioria não possui patrimônio imobilizado que já não esteja servindo como garantia para outros empréstimos. Merheg Cachum acredita que se as empresas não conseguiram quitar os tributos anteriores, agora, com o acúmulo dos antigos e dos novos, será ainda mais difícil.