Belo Horizonte, 26 (AE) - O descarrilamento de 17 dos 89 vagões da Companhia Vale do Rio Doce e da Ferrovia Centro Atlântica, na noite de sábado, em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte, provocou a morte do funcionário Robson José Tavares, de 35 anos. Os vagões carregavam calcário e ferro-gusa, mas as empresas informam que não houve danos ao meio ambiente. Em nota oficial a Vale do Rio Doce lamentou a morte do funcionário e disse que as causas serão apuradas por uma comissão e, no máximo em 20 dias, será divulgado um laudo.
Esse foi o segundo acidente em menos de uma semana em trechos privatizados de ferrovias mineiras. Na segunda-feira da semana passada, um trem da Centro-Atlântica descarrilou e derramou óleo e gasolina.
árvore - O fotógrafo Almir dos Santos Xavier, de 34 anos
morreu hoje depois que uma árvore do Parque Municipal, um dos pontos turísticos de Belo Horizonte, localizado no centro da capital mineira, caiu sobre a Kombi em que estava.
O acidente ocorreu por volta das 6h34, no momento em que o fotógrafo aguardava a abertura do parque, onde trabalhava, fotografando visitantes.
A queda da árvore, que pesava cerca de uma tonelada, destruiu parcialmente uma banca de revistas e obstruiu uma movimentada avenida da cidade. O secretário municipal do Meio Ambiente, Juarez Amorim, disse que o acidente foi uma fatalidade e garantiu que as árvores do parque passam por uma constante manutenção preventiva.