Brasília, 07 (AE) - O deputado Wanderley Martins (PDT-RJ), suspeito de ter ligações com o narcotráfico, pode ser ouvido amanhã (08) pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico da Câmara para dar explicações sobre o suposto envolvimento dele com o tráfico de drogas. Um grupo de deputados investiga se Martins, que integra a CPI do Narcotráfico, tem negócios com o tráfico de drogas. Numa gravação feita em fita de vídeo, o parlamentar aparece ao lado do traficante Walter Gomes de Carvalho Filho, mais conhecido como "Valtinho", na inauguração da sede da Associação dos Moradores do Morro Boavista, em Niterói, na Grande Rio, em 1997.
A subcomissão da CPI, que investiga as denúncias, deve pedir à Receita Federal o levantamento das declarações de renda do parlamentar apresentadas nos últimos dez anos. O depoimento tomado na semana passada do delegado aposentado da Polícia Federal (PF) Onézimo Sousa não trouxe indícios da possível ligação de Martins com o narcotráfico, segundo afirmou hoje o deputado Waldemir Moka (PMDB-MS), integrante da subcomissão.
A subcomissão ouviu ainda "Valtinho" e o doleiro Elias Kanaan, acusado de lavagem de dinheiro e contrabando de armas.
Martins responde ainda a um inquérito por corrupção pelo fato de ter recebido um depósito bancário no valor de US$ 2,5 mil do doleiro, informação levantada com base numa agenda apreendida pela polícia na qual aparece uma relação de nomes ao lado de valores em dólares. Martins, na época, era delegado federal, lotado na Delegacia Fazendária. Outros delegados e funcionários da PF apareceram na agenda de Kanaan.