Delegadodo Rio indicia médium que afirma incorporar o dr. Fritz2/Mar, 18:40 Por Clarissa Thomé Rio, 02 (AE) - O delegado Jomar Sarkis indiciou ontem (01) o médium Rubens de Faria Júnior, que afirma incorporar o médico alemão dr. Fritz, por charlatanismo, exercício ilegal de medicina e curandeirismo. Ele vai pedir informações à Secretaria Estadual de Segurança de São Paulo sobre as atividades de Faria no Estado. O médium contou ao delegado ter sido acusado pelos mesmos crimes na capital paulista, mas absolvido. Sarkis tem 30 dias para encaminhar ao Ministério Público Estadual do Rio o inquérito em que o médium foi indiciado. Faria Júnior costuma fazer operações espirituais - um de seus pacientes foi o ex-presidente João Baptista Figueiredo. O médium se apresentou ontem ao delegado para explicar suas atividades no Malagueta, clube de pagode em São Cristóvão, na zona norte. "Ali aconteceram shows de pagode com curandeirismo nos intervalos", afirmou Sarkis, titular da Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Saúde Pública (DRCCSP). Sarkis reuniu fotos em que Faria Júnior aparece com bisturis e aplicando injeções em seus pacientes. O médium afirma que era um composto de iodo, álcool e aguarrás, mas nega ter injetado a substância. "Não era eu, era o 'doutor Fritz'", teria dito ao delegado. Faria Júnior atua há anos no Rio. Segundo levantamento de Sarkis, ele tem apartamentos e casas em São Paulo e no Rio e é dono de lanchas e carros de luxo. O delegado conta que o médium costumava arrecadar até R$ 20 mil por dia de consulta. Em São Paulo, o atendimento custaria pelo menos R$ 20. No Rio, o valor variava entre R$ 10 e R$ 15. Se for condenado pelos crimes de que é acusado, Faria Júnior pode cumprir pena de até cinco anos.