São Paulo, 5 (AE) - A Defesa Civil mantém o estado de alerta nos morros da Baixada Santista, apesar de ter diminuído o volume de chuva na região. Em Santos, a maior preocupação é com o Morro Santa Terezinha. A retirada da vegetação e das pedras que caíram no local interditando o acesso ao condomínio deve demorar entre 60 e 90 dias. Algumas rochas que permanecem presas ao morro estão trincadas e qualquer movimentação pode trazer perigo aos moradores. No Morro do Itararé, em São Vicente, onde também houve deslizamentos, três das quatro casas interditadas pela Defesa Civil já foram liberadas. Dos 16 morros do Guarujá, dez estão em área de maior risco. No Morro da Cachoeira, duas famílias continuam sem poder entrar nas moradias porque um barranco ameaça desabar. Em Mogi Guaçu, na região de Campinas, as águas do rio que corta a cidade começaram a baixar. Aos poucos, o Rio Mogi Guaçu, que subiu quatro metros acima do nível, vai voltando ao normal.