Porto Alegre, 1 (AE) O diretor financeiro da CRT, Victor Moura, disse que a operadora tem R$ 400 milhões a receber do BNDES por conta de reembolso de investimentos realizados desde 1998. Um empréstimo-ponte de R$ 177 milhões já foi liberado pela instituição em novembro de 1999 e Moura acredita que o valor final pode aumentar, pois a empresa está reunindo comprovantes de um maior volume de aquisições de equipamento nacional. O diretor superintendente, Roberto Medeiros, informou que a CRT vai priorizar o atendimento às áreas com demanda reprimida, a implantação de redes corporativas e a ampliação dos serviços de acesso à internet.
Atualmente a lista de espera por um telefone fixo alcança 700 mil inscritos, mas o número será revisto para eliminar as duplicidades e desistências. Deste total, 80 mil se inscreveram antes de 1996 e terão prioridade de atendimento este ano. O restante receberá suas linhas até o final de 2001.