Araraquara, SP, 07 (AE) - O delegado Donisete José Pinezi, da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise), de Araraquara, entregou hoje cópias resumidas dos inquéritos contra 14 pessoas presas em dezembro e outras seis que serão indiciadas por suspeita de participação em quadrilha internacional de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro ao Ministério Público da cidade e aos representantes das CPIs do Narcotráfico - respectivamente os deputados federal Celso Russomano (PPB) e estadual Dimas Ramalho (PPS). Além dos detidos
temporariamente, até dia 21, durante as investigações, a polícia de Araraquara apreendeu e sequestrou bens da quadrilha, como imóveis, carros, motos e um avião.
O inquérito reúne mais de 6 mil páginas, em 17 volumes, que incluem ligações diretas da quadrilha com a rota de tráfico Bolívia-Rondônia, inclusive com depósitos bancários que constam em disquetes e arquivos de computador apreendidos. Ramalho pegou uma cópia do inquérito pela manhã, enquanto Russomano esteve em Araraquara à tarde. O deputado federal pretende cruzar as informações já obtidas pela CPI, ainda em 1999, com os novos dados para checar se existem relações entre os casos.
Pinezi pediu a prisão temporária dos outros seis suspeitos, que, na maioria, são parentes. No final do ano passado, a CPI do Narcotráfico federal pediu investigações dos promotores de Ribeirão Preto de casos envolvendo drogas. Os nomes dos suspeitos não foram divulgados e os depoimentos devem começar em breve.