Rio, 10 (AE) - O corpo do ex-deputado federal álvaro Valle, presidente nacional e fundador do Partido Liberal (PL), foi enterrado no início da tarde no cemitério São Francisco Xavier, no Caju, zona norte do Rio. Valle morreu ontem (09), em casa, vítima de complicações decorrentes de câncer no intestino. Lideranças políticas da oposição, como o governador de Minas Gerais, Itamar Franco (sem partido), e o presidente do diretório regional do PT, deputado Carlos Santana (RJ), que representava o presidente nacional do partido, deputado José Dirceu (SP), estiveram no velório, realizado na Assembléia Legislativa. Cerca de 150 pessoas acompanharam o enterro.
"Entristecido e emocionado, estou aqui como cidadão e amigo, e não como governador, em nome na amizade fraterna que nos uniu por muitos anos", disse Itamar. "Ele foi um homem público, um intelectual, sobretudo um patriota, com um sentimento de brasilidade que tem faltado no País." O governador de Minas não quis comentar fatos políticos: "Estou aqui para trazer um abraço amigo, não é hora de pensar em política."
Para a deputada federal Jandira Feghali (PC do B), a morte de Valle poderá "desequilibrar" o PL. "Ele, que nos últimos anos só votava com a oposição, representava o PL ideológico, sem fisiologismo; foi uma perda para uma política que avançava em direção à democracia." O deputado Carlos Santana disse que Valle foi "peça fundamental na discussão nacional".
De acordo com o líder do PL na Câmara, deputado Valdemar Costa Neto, que assumiu o comando da legenda, o PL vai permanecer fazendo oposição ao governo Fernando Henrique Cardoso
porque "essa era a vontade de Valle". O ex-prefeito do Rio César Maia (PFL) também esteve no velório. "Foi um homem sério, que definiu uma referência ideológica, um dos poucos a fazer política organicamente", disse. "Devo muito a ele minha eleição em 1992."
Antes de fundar o PL, em 1985, o ex-deputado integrou a Aliança Renovadora Nacional (Arena), o PDS e o PFL. Foi um dos defensores do golpe que instaurou o regime militar (1964-1985) no País. Seu último mandato de deputado federal terminou em 1998.