Belém, 27 (AE) - O coordenador da Associação dos Juízes Federais (Ajufe) no Pará, Rubens Rollo DOliveira, admitiu hoje a possibilidade de suspensão da greve marcada para amanhã (28), caso surja uma "proposta concreta". Ele disse que passou o dia de hoje ouvindo "especulações e propostas demagógicas", que não resolvem a questão da defasagem salarial dos juízes.
A mobilização feita entre os oito juízes titulares da Justiça Federal em Belém, Santarém e Marabá, segundo DOliveira, garantiu "adesão de 100%" à greve. Esse consenso em torno da paralisação havia sido obtido bem antes do surgimento da possibilidade de o governo conceder um abono de R$ 3 mil aos juízes a título de auxílio-moradia.
Qualquer negociação que for feita sem que haja a perspectiva concreta de os juízes passarem a receber um salário compatível com a função que exercem, diz DOliveira, será vista como uma "tentativa de desagregar o movimento".
Assim que chegar ao prédio da Justiça Federal, em Belém, por volta do meio-dia de amanhã, o juiz disse que irá entrar em contato com a direção nacional da Ajufe para saber se houve avanço na discussão com o governo. "Temos sido muito pacientes, mas essa paciência já chegou ao limite."