Washington, 29 (AE-DOW JONES) - O conselho do Fundo Monetário Internacional (FMI) poderá definir o sucessor de Michel Camdessus à frente do órgão antes do fim desta semana, segundo Thomas Dawson, diretor de Assuntos Externos do Fundo. Dawson informou que o conselho do Fundo, formado por 24 diretores executivos que representam 182 membros do FMI, poderia fazer uma votação informal dentro de 48 horas após a conclusão do processo de nomeação. Não há nenhum prazo final para as nomeações, mas o FMI tem sido pressionado a escolher um novo homem-chave desde a saída de Camdessus, em 15 de fevereiro.
A escolha do sucessor de Camdessus sofreu uma reviravolta ontem, quando os EUA manifestaram total objeção ao candidato indicado pela União Européia para ocupar a vaga, o secretário de Estado do Ministério das Finanças da Alemanha, Caio Koch-Weser. O nome de Koch-Weser, escolhido por unanimidade pelos países da UE, deve ser apresentado formalmente ao FMI ainda hoje. Tradicionalmente, a chefia do FMI tem sido ocupada por um europeu e, em contrapartida, a do Bird fica com um norte-americano.
Os outros candidatos indicados para a chefia do FMI são Eisuke Sakakibara, ex-vice-ministro de Finanças para Assuntos Internacionais do Japão, e o vice-diretor gerente do FMI, Stanley Fischer, que ocupa interinamente a chefia da instituição desde a saída de Camdessus. Segundo Dawson, basta um candidato receber o apoio de uma maioria simples dos países membros do FMI para assumir a chefia do órgão. O conselho do FMI fará uma reunião para discutir o andamento do processo para escolha da chefia do Fundo em uma reunião prevista para as 17 horas (de Brasília).
No início desta manhã, vários representantes dos países da UE manifestaram a intenção de preservar a candidatura de Koch-Weser
apesar de os EUA terem anunciado a intenção de votar contra o secretáiro alemão. Os EUA têm um peso de 17,8% na votação e não considera o indicado pela UE qualificado para o cargo. Nascido em Rolândia, no Estado do Paraná, Koch-Weser viveu no Brasil até os 16 anos. Nascido na Zãmbia, Fischer naturalizou-se norte-americano.