Estrasburgo, 05 (AE-AP) - A Corte Européia de Direitos Humanos determinou nesta quarta-feira (05) em Estrasburgo que o governo italiano confiscou impropriamente um quadro de Van Gogh avaliado em US$ 8,5 milhões do proprietário de uma galeria de arte suíça.
A corte determinou que as autoridades italianas violaram a direito de propriedade de Ernst Beyeler, o comprador da pintura do artista holandês.
Ernst Beyeler adquiriu o quadro de Van Gogh, "Retrato de Um Jovem Camponês", em 1977, na Itália. Ele tentou vender o quadro a uma corporação norte-americana em 1988 por US$ 8,5 milhões. A companhia queria exibir o quadro em um museu de Veneza, Itália.
O Ministério da Herança Cultural italiano entrou em ação, confiscou o Van Gogh e comprou o quadro "por um preço bem abaixo de seu valor de mercado", anunciou a corte em sua decisão. Autoridades italianas pagaram a Beyeler uma quantia relativa ao valor da obra em 1977.