São Paulo, 10 (AE) - Investimentos vultosos em obras estão programados para as estradas estaduais paulistas este ano. Conforme a Secretaria Estadual de Transportes, somente as empresas privadas, que administram 2.338 quilômetros da malha rodoviária estadual, deverão investir, juntas, mais de R$ 1 bilhão. O maior investimento para 2000 será feito pela concessionária AutoBAn, que administra as Rodovias Anhanguera e Bandeirantes. Para o prolongamento de 78 quilômetros da Bandeirantes estão previstos R$ 273 milhões. A obra deve estar concluída até dezembro de 2001.
A construção de quatro faixas, em cada sentido, da Castelo Branco, do Cebolão até Alphaville, somada à duplicação da Raposo Tavares, de Cotia até Araçoiaba da Serra, vão consumir cerca de R$ 212 milhões da concessionária ViaOeste. Segundo o gerente de engenharia da empresa, José Carlos Britto Pereira, as obras na Castelo Branco deverão estar prontas até o fim do ano. Para a Raposo Tavares, a previsão de término do serviço, entre os km 92 e 115, é para setembro. A duplicação do km 34 ao 92, de Cotia até Araçoiaba, ainda depende de estudos de impacto ambiental conduzidos pelo Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (DER). Este trecho deve estar concluído até o fim de 2002.
Pedágio - No km 46 da Raposo, em São Roque, ainda está prevista a construção de mais uma praça de pedágio, que vai somar-se às duas já existentes. "Em razão dos valores arrecadados nas praças não serem suficientes para ampliações do sistema e equipamentos operacionais, estamos realizando investimentos com capital próprio de acionistas e empréstimos bancários", informa a concessionária.
A Ecovias, que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes, deverá gastar cerca de R$ 176 milhões com obras este ano. Estão previstas a duplicação da Imigrantes no trecho da Serra do Mar e a construção da Marginal Norte da Anchieta entre os km 18 e 30. Os prazos finais das obras são maio de 2003 e o fim de 2002, respectivamente. Nos gastos para 2000 não está incluída a recuperação do km 42 da pista sul da Via Anchieta, em andamento. A assessoria de Imprensa da Ecovias informou hoje que os trabalhos de abertura de um desvio provisório no local devem ser concluídos no fim deste mês "se não chover". As obras têm causado lentidão do tráfego tanto na subida quanto na descida da serra.
As concessionárias Centrovias e Triângulo do Sol devem investir em 2000, respectivamente, R$ 116 milhões e R$ 110 milhões em obras nas rodovias que administram nas regiões de Jaú e Araraquara. Vicinais - O governo do Estado calcula a aplicação de R$ 120 milhões próprios para a construção de estradas vicinais - o que manteria a meta anual de mil quilômetros construídos - e outros R$ 330 milhões para conservação e manutenção da malha não-concedida. Somados aos gastos com o Rodoanel, de R$ 144 milhões, o investimento do governo do Estado chegará a quase R$ 600 milhões este ano.
Novos investimentos privados serão feitos pelas três concessionárias que passarão a administrar três novos lotes, a partir de março, na região de Itapira, Itu e Itapetininga. De acordo com a Secretaria dos Transportes, o edital de concessão prevê os investimentos a partir do sétimo mês após a assinatura do contrato. Como os contratos devem ser assinados em março, os gastos começarão ainda em 2000. A NovaDutra prevê investimento de R$ 60 milhões para obras de segurança e a construção de 7 quilômetros de uma pista marginal, em Guarulhos, no sentido Rio-São Paulo.