Belo Horizonte, 30 (AE) - Uma forte tempestade que atingiu a região metropolitana de Belo Horizonte na noite de ontem causou a morte de duas pessoas e deixou outras seis feridas. A chuva começou por volta de 20h30 e só parou de madrugada.
Segundo a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), cerca de 120 mil consumidores ficaram sem energia por aproximadamente 40 minutos em diferentes pontos da cidade, em razão de descargas elétricas que danificaram duas linhas de transmissão.
Na favela Vila do Cafezal, na Zona Sul, um murro de arrimo caiu sobre o barraco de Marcelo da Silva Bento, de 33 anos, por volta das 23h40. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a mulher dele, Lucimara dos Santos Jesus, de 20 anos, e a filha do casal, Milena Aparecida de Jesus Bento, de um ano e oito meses, morreram na hora. Marcelo foi levado para o Pronto Socorro do Hospital João XXIII, no centro da cidade, com fraturas nas pernas e escoriações pelo corpo.
Com as mortes da mulher e da criança, subiu para 15 o número de vítimas das chuvas em Minas, desde o início do ano. Na quarta-feira, a menina Beatriz Dias de Almeida, de cinco anos, foi a 13ª pessoa a morrer em razão do mau tempo, quando o barraco em que morava com o pai caiu durante uma tempestade no bairro Jardim Alvorada, região Noroeste da capital. Também na madrugada de hoje, uma casa de dois pavimentos desabou em Betim, região metropolitana, ferindo cinco pessoas de uma mesma família. José Francisco Silva, de 43 anos, contou que a chuva já havia parado quando o imóvel veio abaixo, por volta das 5h20.
Ele teve uma contusão na bacia, ao ser atingido pelos escombros. Os filhos Vanderson, de 15, Jaqueline, de nove, e Wallace, de sete, e a mulher Conceição, de 35, sofreram escoriações. Todos foram conduzidos ao Hospital de Pronto Socorro da cidade.