Ribeirão Preto, SP, 4 (AE) - A chuva que atinge a região da Alta Mogiana pode comprometer a produtividade da soja e do milho na safra de verão, afirmou o engenheiro agrônomo Roberto Sordi, diretor da Cooperativa Agrícola de Orlândia (Carol). Segundo ele
ainda é cedo para fazer qualquer previsão sobre a produção, mas o atraso no plantio provocado pela estiagem, aliado ao intenso volume de chuva na região nos últimos dez dias (cerca de 200 milímetros) podem fazer com que a produtividade do milho, por exemplo, caia das 6 toneladas por hectares para, em média, 5 toneladas.
Na região, são em média 180 mil hectares de milho, um quarto do total de área destinada ao milho na segunda safra. "Apesar de época ideal de plantio do milho ir somente até o dia 10 de novembro, alguns produtores estavam realizando esse plantio até há poucos dias. Isso fará com que a cultura nao se desenvolva a contento, a não ser que tenhamos um clima excepcionalmente bom daqui por diante", disse.
A região da Alta Mogiana deverá produzir este ano a maior parte de sua soja a partir de sementes de ciclo precoce, por conta do atraso no plantio e para evitar o comprometimento do plantio do milho safrinha, acredita Sordi. Apesar disso, no entanto, ele afirma que o plantio do milho safrinha já está comprometido, o que poderá afetar sua produtividade. "A época ideal para o plantio do milho safrinha é até 15 de março e, dificilmente, a soja plantada na região para safra das águas estará colhida até essa época".
De acordo com ele, se o clima permanecer estável com chuvas alternadas por períodos de sol, a produtividade da soja este ano pode repetir o mesmo índice dos anos anteriores em torno de 2,75 toneladas por hectare. "Mas se o sol não aparecer em breve, a planta já começa a ficar enfraquecida", comentou.