Rio, 07 (AE) - A chuva parou, mas a situação ainda é complicada em Resende, Barra Mansa, Itatiaia e Barra do Piraí, no Rio de Janeiro. Em Resende, na região do Médio Paraíba, quarenta casas estão ilhadas no distrito de Engenheiro Passos e receberam alimentos e remédios por meio de um helicóptero cedido pelo governo estadual.
De acordo com a prefeitura de Resende, no início da tarde a represa do Funil, em Itatiaia, estava com 97,86% de sua capacidade total e as comportas tiveram que ser abertas. Às 14 horas, a vazão era de 929 metros cúbicos de água por segundo, e iria aumentar no fim do dia, pois havia risco de transbordamento. As comportas já haviam sido abertas duas vezes - ontem e hoje.
A previsão da meteorologia era de mais chuva no município na noite de hoje, o que atrapalhou a distribuição dos mantimentos - leite, biscoito, frutas - colchonetes, cobertores, roupas, além de vacinas (contra tétano e difteria). Permanecem alagadas várias avenidas de Resende.
O mesmo acontece em Barra Mansa, onde 4 mil pessoas ficaram desalojadas. A prefeita, Maria Inês Pandeló, disse que a situação está controlada, mas teme a volta das chuvas. "Existem populações ribeirinhas que ainda correm risco, por isso estamos apreensivos", afirmou. Em Barra do Piraí, onde 15 mil moradores perderam suas casas e há cinco dias não há água, o quadro também está melhor. Segundo a prefeitura, os desabrigados já estão voltando para suas casas. A última chuva, na tarde de quinta-feira, não chegou a causar estragos.