Chuva antecipa retorno dos turistas da Baixada Santista7/Mar, 17:43 Por Cida Oliveira (especial para a AE) Guarujá, SP, 07 (AE) - A chuva que começou a cair hoje pela manhã, último dia de carnaval, afastou os turistas das praias da Baixada Santista (SP). Muitos preferiram descansar e acordar mais tarde, outros optaram por caminhar pelos calçadões ou até mesmo tomar banho de mar, mas a maioria decidiu retornar aos locais de origem. Tanto assim que, por volta do meio-dia, havia um congestionamento de cinco quilômetros na praça de pedágio da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega e morosidade na subida da serra. Cerca de 400 mil carros vieram para Baixada levando aproximadamente 2 milhões de turistas para as praias. Os hotéis de Guarujá tiveram 100% de ocupação. Mas, desde a noite de ontem (06), os turistas começaram a deixar a cidade para evitar os possíveis congestionamentos. Com o sol e o calor que fez desde sexta-feira (03), os comerciantes da orla e os visitantes estavam satisfeitos. O paulistano Luiz Cortez passeava hoje pela manhã no calçadão da Praia do Tombo, num momento de estiagem. Para ele, o carnaval foi ótimo, com muito sol e calor, o que favoreceu o banho de mar. "Hoje, o tempo mudou, mas eu adoro um pouco de chuva também", comentou. Tanto assim que só pretende regressar na quinta-feira (09). Mas o empresário Antonio da Cunha Pereira preferiu deixar para subir a serra amanhã (08) pela manhã, a fim de aproveitar o máximo o feriado prolongado. Já a campineira Luciana Pereira, apesar de ter gostado muito da estadia no Guarujá, decidiu antecipar a volta e, por volta das 11 horas de hoje, estava preparando-se para enfrentar a estrada. "Com chuva, não dá e depois quero escapar dos congestionamentos", comentou. Ela ficou hospedada no apartamento de amigas na Praia das Pitangueiras e pretende voltar mais vezes à cidade. Se os turistas estavam satisfeitos, os comerciantes mais ainda. "O carnaval foi dez", afirmou Norma de Araújo, do Quiosque do Marcão, na Praia do Tombo. "Aqui, estivemos lotados todos os dias, funcionando das 8 horas da manhã até às 5 horas da madrugada." Segundo ela, hoje, só havia um barril de chope disponível para servir aos clientes. "Os demais acabaram", enfatizou. Também Jandira Maria de Oliveira, gerente do Restaurante Tahiti, nas Pitangueiras, garantiu que o movimento cresceu 20% em relação ao carnaval de 1999. Ela dobrou os estoques e estava satisfeita, apesar de constatar que muitos turistas estavam retornando hoje. "Trabalhamos com a casa sempre lotada e, se não fosse a chuva, teríamos um bom movimento", disse. De acordo com tenente Nilson Kuratoni, que hoje estava de plantão na Enseada, o movimento do último dia do feriado ficou abaixo do esperado não só no Guarujá, mas também em Santos São Vicente e Bertioga. "Mesmo assim, ainda há pessoas nas praias." Nos dias anteriores, as praias estiveram lotadas e foram registrados muitos salvamentos, além de casos de crianças perdidas e atendimentos clínicos feitos pelos bombeiros. "No Guarujá, não houve mortes no mar", garantiu. "Trabalhamos com a força máxima, com 65 guarda-vidas, duas unidades de salvamento aquático, dois botes infláveis com motor, um jet-ski e um helicóptero."