Rio, 07 (AE) - A Companhia Estadual de água e Esgoto (Cedae) do Rio será multada em R$ 5 milhões pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente por causa do despejo de esgoto in natura na Lagoa Rodrigo de Freitas, provocada pelo rompimento de uma tubulação, no sábado. O gerente do Programa de Gerenciamento de Recursos da Lagoa, Mário Moscatelli, calcula que cerca de 3 milhões de litros de esgoto tenham sido jogados nas águas.
Até que o tubo seja consertado, a Cedae estará sujeita a multa diária de R$ 500 mil. O prefeito do Rio, Luiz Paulo Conde (PFL), afirma que toda a tubulação da Cedae precisa ser verificada. "Enquanto a Cedae não se conscientizar de que terá que trocar todos os seus tubos, novos casos desse tipo irão acontecer", afirmou Conde. "Se a companhia não tem dinheiro, paciência; ou arruma ou o Rio sofrerá continuamente com esses vazamentos", disse.
Técnicos da Secretaria de Meio Ambiente estiveram no local hoje e a Coordenadoria de Despoluição Ambiental da Secretaria confirma que vazaram 3 milhões de litros de esgoto, embora o Cedae afirme que foram 800 mil litros. Segundo a Cedae, o problema foi causado por um acidente que provocou o rompimento da tubulação de ligação com o emissário submarino de Ipanema. O esgoto atingiu rapidamente as galerias pluviais, que despejaram o esgoto em quatro pontos da Lagoa. A Cedae pretende levar o esgoto para a elevatória do Jardim Botânico.
Reparo - A companhia informou que o esgoto seria desviado até as 22 horas de hoje e ainda não havia feito isso porque havia uma caixa de cimento contendo fios da Telemar apoiada na tubulação, na Avenida Borges de Medeiros. Durante todo o dia, funcionários da Telemar trabalharam para quebrar a caixa e remover os fios. Técnicos da Light também estiveram no local, por onde passa rede de energia. O reparo da tubulação deve terminar na quarta-feira (09).
Mário Moscatelli disse que o cálculo inicial do vazamento - 2,800 milhões de litros, da manhã de sábado à noite de domingo - foi superado hoje, pois o problema não foi resolvido. "O esgoto não cessa de jorrar, o que torna a situação gravíssima", disse. "Esse quadro tem que ser revertido com muita agilidade, porque o meio ambiente está sofrendo", afirmou Moscatelli.
Praias - A secretária municipal de Obras, ¶ngela Fonti, disse que a obra que ligará a tubulação desativada da Cedae à atual galeria pluvial do municipío, em Ipanema, deverá começar no início da semana. A iniciativa tenta acabar com as línguas negras que costumam aparecer nas praias depois de chuvas.
Segundo a secretária, técnicos da Rio águas, empresa de água da Prefeitura, não puderam fazer a vistoria da tubulação cedida pela Cedae porque ela estava cheia de água. "Só depois de levantar o estado da galeria é que poderemos começar as obras", disse. ¶ngela Fonti afirmou que os tubos comprometidos serão trocados pela Cedae.