Cuiabá, 10 (AE) - A ocorrência de casos de febre amarela em Goiás e, supostamente, no Distrito Federal, está preocupando o coordenador da Vigilância Sanitária e Epidemiológica do Estado de Mato Grosso, Euze Carvalho. Ele teme que a doença se alastre por seu Estado. Hoje, a Secretaria Estadual de Saúde solicitou 50 mil doses de vacina contra a doença para vacinar a população dos municípios que fazem divisa com Goiás. No ano passado foram registrados cinco casos de febre amarela no norte de Mato Grosso com quatro óbitos. Além de Goiás, a fronteira com a Bolívia preocupa as autoridades de saúde do Estado.
A febre amarela urbana está erradicada desde 1942, mas não deixa de preocupar as autoridades em Cuiabá porque, além da chegada de pacientes no pronto-socorro de Cuiabá com quadro clínico d doença (vômito escuro, febre, dor de cabeça e dores pelo corpo), há na cidade focos do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença. Até hoje não foi confirmado nenhum caso no Estado. "Temos fronteira seca com Goiás e Bolívia e, obviamente, a doença pode avançar para o Mato Grosso. Por isso estamos intensificando a vacinação nos municípios que fazem divisa com esse Estado e o país vizinho", disse Euze.
A Vigilância Sanitária está recomendado à população para que procure os postos de saúde para tomar a vacina. "Estamos em alerta", disse o chefe do Serviço de Operações da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) de Mato Grosso, Edson Pertile.