Quito, 07 (AE-AP) - Representantes da sociedade civil equatoriana, encabeçados pelos indígenas, iniciaram hoje (07) uma campanha de coleta de assinaturas para pedir a dissolução do Congresso através de um referendo.
A campanha é liderada pela Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie), que surgiu como uma poderosa força de mobilização popular depois de ter impulsionado uma insurreição que em 21 de janeiro resultou na queda do presidente Jamil Mahuad.
À campanha somou-se a Coordenadoria de Movimentos Sociais, que agrupa numerosas federações de trabalhadores e estudantes em todo o país.
Os organizadores esperam recolher pelo menos dois milhões de assinaturas, o que obrigaria o governo a convocar um plebiscito. De acordo com a Constituição, são necessárias 700.000 assinatura para que ocorra obrigatoriamente uma consulta popular.
O referendo incluiria quatro questões, sendo que a primeira seria: "Você está de acordo com a dissolução do Congresso e com a convocação de novas eleições (legislativas)?". As outras três seriam de caráter econômico.