Washington, 01 (AE) - O vice-presidente Albert Gore e o governador do Texas, George W. Bush, confirmaram suas posições de francos- favoritos para disputar a presidência dos Estados Unidos, em novembro, vencendo de forma convicente as prévias eleitorais nos estados de Virgínia, Washington e Dakota do Norte, na terça-feira.
Bush, que é o filho mais velho do ex-presidente George W. Bush e tem o apoio da máquina do Partido Republicano, recuperou-se das derrotas que sofreu na semana passada, em Arizona e Michigan, frente ao senador do Arizona John McCain e removeu as dúvidas sobre a viabilidade de sua candidatura mostrando, pela primeira vez, que é capaz de ganhar fora do sul dos Estados Unidos.
Em Virgínia, um estado sulista onde sua campanha investiu US$ 2 milhões para conter o avanço de McCain, Bush obteve sólido apoio do eleitorado feminino e da direita religiosa, que representa cerca de 20% dos votantes no estado e reagiu em massa aos ataque que o senador do Arizona fez, no início da semana, aos principais líderes do movimento.
O governador derrotou McCain por uma margem de 53% a 44% e garantiu os 56 delegados do estado, passando à frente do senador na briga pelos eleitores da convenção nacional do partido, que escolherá o candidato republicano em agosto, na Filadélfia.
Em Washington, um estado do noroeste do país economicamente importante, que abriga a Boeign, a Microsoft e a cadeia de casas de café Starbucks, o governador do Texas ganhou por margem ainda maior, recebendo 58% das preferências, contra 38% dadas a McCain. Esse resultado deu-lhe sete dos doze delegados que estavam em jogo. Os demais 37 delegados de Washington serão escolhidos numa convenção estadual do partido, na semana que vem, e devem ser alocados, em sua maioria, para Bush.
Como esperado, Bush impôs uma ampla vitória a McCain em Dakota do Norte e ganhou os 14 delegados que estavam em disputa, obtendo 76% dos votos contra apenas 19% dados ao senador. Com um total, agora, de 170 delegados, contra 105 de McCain, o governador do Texas disse que as vitórias nos três estados colocaram "um pouco de mola" para tentar alijar seu rival na próxima terça-feira, quando eles disputarão um total de 613 delegados em 13 estados diferentes, entre eles os dois maiores do país em população - Califórnia e Nova York.
A maioria para ganhar a candidatura republicana é de 1034 delegados. "Continuamos na disputa e venceremos na próxima terça- feira", prometeu McCain, em comício hoje na Califórnia. Antes das primárias de terça-feira, as pesquisas de opinião colocavam o senador à frente de Bush em cinco estados da Nova Inglaterra. Mas o governador do Texas liderava na Califórnia, Nova York e Ohio, que concentram a maioria dos delegados em disputa.
Entre os democratas, Gore venceu facilmente seu único desafiante, Bill Bradley, nas primárias de Washington. Embora tenha passado cinco dias no estado fazendo campanha, Bradley, um ex-campeão de basquete e ex-senador de Nova Jersey, recebeu apenas 31% dos votos, ou menos da metade dos 68% dados ao vice-presidente. Bradley, que até agora não ganhou nenhuma das três prévias do Partido Democrata, disse que "a corrida está apenas começando" e garantiu que sua campanha decolará na próxima terça-feira, quando disputará 1.315 delegados com Gore em 15 estados.
A maioria dos analistas acredita que Bradley perderá a maioria das primárias da semana que vem e abandonará a disputa. O número mágico, este ano, para ganhar a indicação presidencial na convenção democrata de Los Angeles, em agosto, é 2.169.