Brasileiros da fronteira compram gasolina mais barata no Paraguai8/Mar, 17:19 São Paulo, 08 (AE) - O recente aumento dos combustíveis voltou a deixar muito atrativo para os brasileiros o preço da gasolina nos postos da Argentina e do Paraguai. Moradores de Foz do Iguaçu (PR) e turistas que visitam a região estão fazendo as contas e cruzando a fronteira para abastecer. Em Ciudad del Este (Paraguai), a gasolina comum é 29% mais barata que no Brasil e, em Puerto Iguazú (Argentina), o preço está 7,5% menor. Enquanto em Foz o litro da gasolina comum custa em média R$ 1,39 à vista, nos postos paraguaios pode ser encontrada a R$ 0,99. Para se ter uma idéia da diferença, encher um tanque de 50 litros no lado brasileiro da fronteira custa R$ 69,50 e, no lado paraguaio, não mais que 49,50. Com a economia de R$ 20,00 é possível comprar mais outros 20 litros de gasolina nos postos do país vizinho. A diferença no preço oscila conforme os reajustes nos dois países. Até o final do ano passado era de até 42%, caiu para 17% com o aumento ocorrido há dez dias no Paraguai e voltou a subir após o recente reajuste no Brasil. Graças a essa diferença, os brasileiros são responsáveis por 40% das vendas do posto Shell Touring, por exemplo, localizado nas proximidades da aduana paraguaia. Dos cerca de 30 mil litros de gasolina vendidos por dia, em média 12 mil destinam-se a carros brasileiros. Já em Puerto Iguazú, ligada a Foz pela Ponte Tancredo Neves, a gasolina comum custa R$ 1,29 na cidade. Entretanto, alguns mecânicos alertam para a diferença entre a gasolina dos três países. Com um menor índice de misturas, o combustível paraguaio e argentino produz mais combustão, o que - em caso de uso frequente - pode causar um maior desgaste do motor e das peças que mantêm contato direto com o produto. Proprietário de uma oficina localizada nas proximidades da ponte que liga Foz a Ciudad del Este, o mecânico Claucir Rosa diz que frequentemente conserta carros que abastecem no Paraguai e apresentam algum tipo de problema. Os mais comuns são entupimento do filtro, danificação do catalisador e carburador, além do entupimento da injeção eletrônica, entre outros.