Hong Kong, 05 (AE-DOW JONES) - A queda de 3,17% de ontem na bolsa de Nova York afetou duramente os mercados asiáticos. O índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, registrou a segunda maior queda de sua história, sucumbindo 1.226,1 pontos (-7,18%), para terminar em 15.846,72 pontos, repercutindo o tombo de Wall Street e da Bolsa de Tóquio.
O intenso nervosismo com a possibilidade de uma nova elevação dos juros nos Estados Unidos e a percepção de que as ações negociadas em Nova York iniciaram uma correção assustaram os investidores, que detonaram uma onda de venda maciça logo após a abertura dos negócios em Hong Kong.
A realização de lucros foi ampla e afetou praticamente todas as ações. Entre os papéis que puxaram as perdas estavam os da China Telecom (-14%), da Cable & Wireless HKT (-11%) e do HSBC (-4,7%).
Na Coréia, o Kospi fechou em baixa 72,73 pontos (-6,86%), caindo abaixo do nível de 1.000 pontos para 986, 31 pontos. Na Bolsa das Filipinas, o índice PSE Composto encerrou em 2.074,75 pontos, com perda de 78,43 pontos (-3,64%). O KLSE, da Malásia, perdeu 18,45 pontos (-2,21%), a 814,35 pontos.
O Jacarta Composta, índice de referência da Bolsa indonésia, encerrou em 678,08 pontos, com desvalorização de 22,13 pontos (-3,16%). O Thai Set, da Tailândia, recuou 30,06 pontos (-6,03%)
para 468,40 pontos, enquanto o Straits Times, de Cingapura, fechou com queda de 139,12 pontos (-5,49%), em 2.391,03 pontos.
O mercado de Taiwan seguiu direção totalmente oposta, em razão da decisão dos investidores de ignorar a queda em Wall Street e levar em consideração as boas perspectivas econômicas para a ilha neste ano. O Taiwan Wghtd somou 93,21 pontos (+1,06%), para fechar em 8.849,87 pontos.