São Paulo, 1 (AE) - A diretoria do Banco Central quer manter a data do leilão de privatização do Banespa em 16 de maio
mas admite mudanças no cronograma dada a dificuldade de cassação de liminares. Amanhã, dia 2, é a data prevista para abertura das salas de informação ("data room"), mas o cumprimento desse cronograma só será possível se o Banco Central conseguir cassar as liminares e divulgar ainda hoje as instituições financeiras pré-qualificadas para participar do leilão de privatização.
A divulgação dos nomes das instituições estava prevista para ontem, mas precisou ser adiada por causa de liminares contra a privatização da instituição. Há três liminares contra o processo de privatização. A Advocacia Geral da União (AGU) deu entrada ontem com dois recursos pedindo a cassação das liminares. O presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª região, Plauto Ribeiro, já iniciou a análise do recurso da AGU. O Banco Central divulgou nota à imprensa ontem afirmando que "dependendo do resultado do recurso no Tribunal Regional Federal de Brasília e do dia que sair, é possível adaptações no cronograma para se manter a data de 16 de maio. Saindo o resultado favorável, o BC terá condições de apresentar os pré-qualificados", informa a nota.