Banespa corre o risco de ter sua privatização adiada4/Mar, 11:24 Por Milton F.da Rocha Filho São Paulo, 4 (AE) - O Banespa poderá ter o seu leilão de privatização transferido do dia 16 de maio para outra data posterior, caso o Banco Central não derrube na próxima semana a liminar dos procuradores de justiça de Brasília , que denunciaram irregularidades no processo de privatização da instituição. O processo de privatização já sofreu reveses na última semana: deixou de divulgar o nome dos bancos qualificados para o leilão e também não abriu o data room com informações sobre o banco, e não divulgou o seu balanço de 99. Sem o balanço de 99 ou a divulgação dos qualificados com abertura do data room, o processo de privatização entrou em um momento em que depende somente da decisão do Tribunal Federal Regional de Brasília, que permita a continuidade do processo. Um dos executivos envolvidos na privatização do Banespa lembrou que sem balanço, não se vai longe, já que é preciso completar a due diligence que fixará o preço mínimo da instituição. Além disto, há ameaça de novas liminares contra a privatização por parte da Associação dos Funcionários e também de Sindicato de Bancários do Estado e de centrais sindicais.Estas ameaças foram feitas no decorrer da última semana. Um técnico envolvido na privatização do Banespa explicou que o processo segue uma cronologia lógica. Se uma das partes deixa de ser cumprida, o resto não anda. Há uma paralisia natural do processo. De qualquer forma, a história do Banespa nos anos 90, que se iniciou em 94 com a intervenção do Banco Central, parece que só vai ganhar uma nova direção com a privatização. Nos meios financeiros do País, a disputa pelo Banespa continua. Há um otimismo de que as barreiras serão superadas e o leilão de privatização ocorrerá. Os nove bancos que entregaram os documentos para pré-qualificação, garantem que tem recursos para adquirir o banco e que o leilão poderá ter um ágio muito bom, que poderá compensar a espera para o governo federal. Os bancos que entregaram documentos e que esperam a pré-qualificação são: Itaú Bradesco, BankBoston, Santander, BBV, Citibank, Unibanco, Safra e o HSBC.