Belo Horizonte - Um grupo de criminosos armados atacou um quartel da Polícia Militar e uma viatura do Corpo de Bombeiros e tentou invadir uma unidade da Brink's, empresa de guarda de valores, na tarde deste domingo (9), em Confresa (MT), município a 1.100 quilômetros de Cuiabá.


O ataque ocorreu no modo que ficou conhecido como "novo cangaço", já registrado também em outros estados, como Minas Gerais e Paraná, com bandidos entrando nas cidades em vários veículos, dando tiros para o alto e queimando carros de passeio, aterrorizando a população.


Invasão semelhante ocorreu em abril de 2022 em Guarapuava (PR). Dois meses depois, em junho, ataque parecido foi registrado em Itajubá (MG).
Não houve mortos no ataque a Confresa, segundo a Secretaria de Estado de Segurança de Mato Grosso. A pasta ainda apura a possibilidade de moradores da cidade terem ficado feridos. Também não há prisões confirmadas.


Segundo a secretaria, os criminosos fugiram para uma região de reserva indígena. As forças de segurança do estado fazem buscas na região com apoio da Polícia Federal e das secretarias do Pará, Tocantins e Goiás, estados vizinhos.


Moradores da cidade filmaram momentos do ataque e postaram nas redes sociais. As imagens mostram um veículo pegando fogo próximo ao quartel da PM. Em uma das gravações, ao som de tiros, um morador que pede para que familiares deitem no chão.


Em nota, a pasta afirmou que a segurança foi restabelecida. "Todos os esforços estão sendo efetivados para prender os criminosos, porque o governo tem tolerância zero contra o crime organizado", afirmou a pasta, no posicionamento.


Também por nota, a Brink's informou nesta segunda que nada foi levado da empresa e não detalhou de que maneira os criminosos tentaram invadir a unidade que mantém na cidade.


"A Brink's informa que uma de suas unidades, localizada na cidade de Confresa, sofreu uma tentativa de invasão na tarde deste domingo. A companhia esclarece que nenhum valor foi roubado e não houve feridos durante a ação dos criminosos", declarou.