Banco reforçará setores como seguros, capitalização e previdência privada19/Mar, 19:27 São Paulo, 19 (AE) - Com a separação dos ativos, o Bradesco deverá concentrar-se nas operações bancárias e financeiras relacionadas, como os negócios com seguros, capitalização e previdência privada, prevê seu presidente, Márcio Cypriano. "Com a separação, o banco ficará mais leve", afirmou Luiz Carlos Trabuco Cappi, vice-presidente-executivo do Bradesco. O banco pretende chegar a 10 milhões de clientes até o fim neste ano, ante os atuais 8,6 milhões, sem contar os correntistas do Banco do Estado da Bahia (Baneb), adquirido em junho do ano passado. "Temos como objetivo contar com 10 milhões de clientes até o fim do ano", disse Cypriano, acrescentando que, para 2001, a meta do banco é chegar a 11 milhões de clientes. O Bradesco pretende ainda iniciar uma forte campanha para dobrar o número total de produtos vendidos para os clientes hoje de 22 milhões, para 50 milhões até 2001. Dessa forma, a média de produtos por cliente passaria de três para cinco. Na Internet, o banco, que foi pioneiro na oferta do acesso gratuito aos clientes, no início deste ano, lançou na semana passada o acesso à rede via telefone celular, que permite ao cliente, com um aparelho especial, navegar pela Internet e ainda utilizar os serviços do banco. O banco é hoje o terceiro maior em clientes ligados à Internet, com 1 milhão de correntistas, perdendo apenas para Bank of America-Nations, com 2 milhões de clientes, e para o Wells Fargo, com 1,4 milhão de clientes, comparou Cypriano. O presidente do Bradesco espera para este ano um crescimento significativo da carteira de crédito, da ordem de 25%. Com isso, os empréstimos feitos pelo banco passariam de R$ 25 bilhões para R$ 31,25 bilhões. (A.P)