Bruxelas, 29 (AE-DOW JONES) - O índice de inflação nos 11 países da zona do euro saltou de 1,7% em dezembro para 2% ao ano em janeiro, pela primeira vez desde a introdução da moeda única, em 1999, aumentando a pressão sobre o Banco Central Europeu (BCE) para elevar as taxas de juros. O índice de 2% havia sido fixado como teto para a inflação na zona do euro.
Os economistas explicam que a variação verificada no primeiro mês do ano é resultado da alta nos preços do petróleo. Mas observam que, apesar disso, é bem provável que o BCE anuncie um aperto no custo do dinheiro para evitar outras pressões inflacionárias.
Na ponta do consumidor, a variação dos preços em janeiro foi de apenas 0,2% em relação a dezembro, conforme dados do Escritório de Estatísticas, o que corresponde às expectativas do mercado. Excluído o item petróleo, a inflação medida da maneira mais ampla subiu 1%, em relação ao mesmo período do ano passado.
O recuo do euro, que perdeu 14% desde o início do ano em relação ao dólar norte-americano, também tem influenciado o comportamento dos preços na zona do euro e começa a preocupar as autoridades.