Atraso de até 3h na ponte aérea irrita passageiros em Congonhas4/Mar, 17:10 Por Mauro Carvalho da Silva São Paulo, 4 (AE) - O atraso de até três horas na saída dos vôos da Ponte Aérea Rio-São Paulo provocou muita confusão hoje no Aeroporto de Congonhas, zona sul. A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) informou às empresas aéreas que uma das duas frequências de rádio entre torres de controle de Congonhas e de Brasília entrou em pane. Com isso, a outra linha ficou saturada, provocando demora na troca de informações. Apesar disso, circularam informações de que o defeito teria ocorrido na transmissão de dados com o Rio. O problema está tornando-se comum. "Ontem houve um atraso de uma hora e meia em virtude das dificuldades nas comunicações", revelou o supervisor da ponte aérea, Miguel Alves. O problema na semana passada durou das 15 às 18 horas. Hoje, a falha nas comunicações começou às 10 horas e prolongou-se até por volta das 12h30 - as empresas, porém, previam que a situação só estaria normalizada após as 14 horas. Outro problema foi o cancelamento de vôos extras da ponte aérea por parte da Transbrasil, após a retirada de operação de um avião acidentado no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, na semana passada. Centenas de pessoas aglomeraram-se no saguão do aeroporto. Muitos passageiros ficaram irritados com a falta de informações sobre o horário em que poderiam viajar. Crianças choravam no colo das mães. "Falta de respeito" - "Desisto, hoje não viajo mais" disse a administradora de empresas Marina Pereira, depois de esperar por três horas. "É uma falta de respeito das empresas do pool da ponte aérea: todos os dias há atrasos pelos mais variados motivos e os passageiros são prejudicados, sem que ninguém faça nada para resolver o problema." Executivo de um banco de São Paulo, Antônio Carlos Germando Santos chegou por volta do meio-dia ao aeroporto. Santos conseguiu no balcão da Vasp passagens para ele a família no vôo das 13h14. Minutos depois, alertado pela reportagem do Estado dos atrasos, consultou funcionários da empresa. Foi informado de que o vôo só sairia às 14h30, se não houvesse outro "contratempo". "O que faço agora?", perguntou à mulher, Adriane, preocupado com o filho Gabriel, de 1 ano. "O garoto está impaciente; não sei se ele vai aguentar tanto tempo." Rio - O supervisor do Aeroporto Santos Dumont, Eduardo de Sá, negou que tenha havido qualquer tipo de pane no sistema de computação no Rio. Sá afirmou que houve cancelamento de vôos para São Paulo, por falta de passageiros, mas que os aviões têm partido da capital paulista lotados. Ele garantiu que, se houve atraso, o problema não ocorreu no Santos Dumont. Um grupo de foliões brasilienses, que deixou para embarcar hoje, logo no início da manhã, teve dificuldades no Aeroporto Internacional de Brasília. Houve overbooking (mais reservas do que assentos) em vôos da TAM para Aracaju, Maceió e Fortaleza. Mas a empresa conseguiu acomodar todos os que tinham reservas antes do fim da manhã. Os passageiros embarcaram em vôos seguintes aos da viagem programada. Ampliação - A Empresa de Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero) tem plano de ampliar o Aeroporto de Congonhas. O volume de tráfego praticamente esgotou a capacidade do aeroporto. Pela facilidade de acesso a Congonhas, boa parte dos passageiros prefere partir de lá. Isso evita que, para ir a Cumbica, as pessoas enfrentem o trânsito na Marginal.