Ato ecumênico reúne milhares de fiéis no Zerão de Londrina Josoé de CarvalhoParticipantes levaram faixas: cristãos contra a corrupção Lino Ramos De Londrina Mais de três mil pessoas acompanharam ontem à noite no Zerão (área central de Londrina) a celebração que marcou o lançamento da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2000, cujo tema é Dignidade Humana e Paz. Participaram representantes das igrejas Católica, Cristã Reformada, Episcopal Anglicana, Evangélica da Confissão Luterana, Metodista, Ortodoxa Sírian e Presbiteriana Unida, que pertencem ao Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic). Membro da Presbiteriana Independente, que não pertence ao Conic, também participou do ato. Durante a celebração, foi lido um manifesto repudiando ‘‘o mínimo dos salários, a fome de muitos, a corrupção reinante no uso dos bens públicos e que gera a miséria e a intolerância’’. O arcebispo de Londrina, dom Albano Cavalin, destacou o ecumenisno após 37 anos de campanha promovida pela Igreja Católica. Segundo ele, a edição deste ano é a ‘‘luz’’ das demais campanhas, que já abordaram a miséria, o migrante, a fome e a terra. ‘‘Chegamos à conclusão de que existe uma exclusão institucionalizada. Fabricam-se excluídos’’, alertou. Segundo ele, durante toda a Quaresma a Igreja irá denunciar a exclusão social por todo o país para que ‘‘os excludentes não se divirtam com os pobres’’. Para o reverendo da Igreja Luterana, Nésio Martens, haverá um trabalho de conscientização para que as pessoas olhem ao seu redor. Ele defende a aproximação dos cristãos. ‘‘Sempre vimos nas pessoas de fé cristã alguém que está caminhando com a gente.’’ O pastor Carlos Klein, da Igreja Presbiteriana Independente, afirmou: ‘‘O que nos une é a luta pela igualdade humana porque no projeto liberal o lucro é a meta principal’’. Klein lembrou ainda que os cristãos estão unidos contra a corrupção.