Foz do Iguaçu, PR, 26 (AE) - As quatro mortes com suspeita de dengue hemorrágica e o anúncio de mais de três mil casos de dengue notificados na fronteira com Foz do Iguaçu (PR) neste ano está levando centenas de moradores de Ciudad del Este ao posto de vacinação da Ponte da Amizade, que liga o Brasil ao Paraguai. Desinformados sobre a doença, os paraguaios estão confundindo dengue com febre amarela, que tem imunização por vacina.
Mesmo informados de que não existe vacina contra dengue, os paraguaios insistem em ser imunizados.As duas doenças são transmitidas pelo mesmo mosquito, o Aedes Aegypti, mas têm sintomas diferentes. A procura em massa pela vacinação está causando tumulto no lado brasileiro da aduana. A grande incidência de dengue no país vizinho preocupa os agentes sanitários brasileiros.
Em Foz do Iguaçu há oito casos confirmados de dengue e outros 71 suspeitos. Nas cidades paraguaias há 40 vezes mais focos de procriação do mosquito Aedes Aegypti do que o tolerado pela Organização Mundial da Saúde. O receio é de que os sacoleiros que fazem compras no Paraguai contraiam a doença na fronteira e a propaguem no Brasil.