Londrina - A Secretaria Municipal do Ambiente determinou o fechamento do Parque Arthur Thomas para os visitantes devido aos estragos provocados pelas chuvas do final de semana. No mirante da Cachoeira da Trilha do Beija-flor, as águas das chuvas provocaram uma erosão das encostas e removeram o equivalente a 50 caminhões de terra e 30 árvores das encostas próximas à cachoeira.
''Só ficaram as pedras, que estavam sob toda essa terra'', apontou o estagiário Luiz César Arruda, que trabalha no local. O lago do parque ficou assoreado, chegando a formar pequenas ilhas com 50 centímetros de altura. Vários galhos e móveis que foram carregados pela força das águas ficaram presos na barragem. No local era possível ver uma estante, partes de uma cama, uma geladeira e outros objetos domésticos. Alguns peixes e aves morreram. Não foram registradas, no entanto, mortes de macacos, lagartos e capivaras.
O secretário municipal do Ambiente, José Faraco, afirma que toda a água que passou pelos córregos Cambezinho e Tucanos se afunilou na área do Arthur Thomas. ''Aquele volume de água que passou pelo Igapó também veio para cá'', explicou.
Faraco explicou que o parque ficará interditado até que as reformas sejam realizadas. Ele não quis dar um prazo para a conclusão das obras de recuperação do local porque a prioridade tem sido a recuperação de outros pontos da cidade, como o Lago Igapó. Ele expõe que ainda não foi feito o levantamento dos custos de reparação de toda a área atingida no parque.
Esta é segunda vez neste ano que o parque sofre com a ação das águas. Em fevereiro diversos paralelepípedos das trilhas foram arrastados pelas chuvas. Na época a recuperação do local custou R$ 30 mil, mas a estimativa é de que o valor necessário para os reparos seja maior dessa vez.
Engenheiros da Sanepar estiveram na tarde de ontem para vistoriar as condições da rede de esgoto no parque. A tubulação da rede ficou exposta na Trilha da Capivara, próxima à barragem. As erosões no local causaram preocupação com a integridade das manilhas da tubulação. Além da terra, toda a pavimentação de paralelepípedos foi carregada pelas águas.
O engenheiro de redes da Sanepar, Luiz Henrique Fujisao da Silva, explicou que a estrutura que sustenta a tubulação não foi comprometida, mas será preciso repor e compactar a terra em volta da tubulação para posteriormente recuperar a trilha sobre ela. A gerente regional da companhia, Mara Lúcia Pereira, afirma que a decisão sobre quem realizará os reparos ainda não foi tomada. ''Vai depender do que for acertado com a administração do parque'', afirmou.

Arthur Thomas é fechado para visitantes
Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes Arthur Thomas é fechado para visitantes