|
  • Bitcoin 102.839
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 05/06/2022, 20:21

Arte de rua dá novo visual a muro de escola em Londrina

Grafiteiros reunidos pelo projeto Arte na Escola Londrina tiveram missão de colorir muro do Colégio Vicente Rijo no fim de semana

PUBLICAÇÃO
domingo, 05 de junho de 2022

Simoni Saris - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Gustavo Carneiro
menu flutuante

O muro da fachada do Colégio Estadual Vicente Rijo ficou mais colorido neste final de semana. Vinte e cinco grafiteiros reunidos pelo projeto Arte na Escola Londrina trabalharam ao longo de todo o sábado (4) e domingo (5) para deixar a sua arte expressa na instituição. Munidos de spray, tinta e pincel, aos poucos os artistas foram substituindo o cinza por novas cores e formas. Além de trazer uma linguagem que dialoga diretamente com o público jovem, o grafite também é uma forma de combater o vandalismo das pichações e preservar o patrimônio escolar.  

Imagem ilustrativa da imagem Arte de rua dá novo visual a muro de escola em Londrina Imagem ilustrativa da imagem Arte de rua dá novo visual a muro de escola em Londrina
|  Foto: Gustavo Carneiro
 

“É uma característica do colégio ter esse muro alegre”, disse a diretora-geral do colégio, Maria Beatriz Bernardy Martinez. Antes de os artistas entrarem em ação, há uma conversa entre grafiteiros e a direção da instituição para definir as mensagens que seriam transmitidas por meio da grafitagem. Nas discussões, foram levantados temas voltados à educação, entre eles, a questão indígena e dos negros e a ciência. “A demonstração da arte é do artista. A escola não interfere na criação, só trocamos uma ideia”, explicou Martinez. O material foi comprado com recursos da escola enviados pelo Estado e verba proveniente da APMF (Associação de Pais, Mestres e Funcionários). 

O projeto Arte na Escola Londrina foi idealizado pelo Coletivo Cap Style a partir de iniciativas semelhantes para levar a arte para dentro das escolas, principalmente no estado de São Paulo. “Inicialmente, a ideia do projeto é fazer arte dentro da sala de aula, mas o Colégio Vicente Rijo é muito grande e essa foi a forma que a escola encontrou para contemplar todos os estudantes. E o coletivo fez uma curadoria de artistas para fazer a arte no muro da escola. Foram selecionados artistas de Londrina e de fora também”, explicou a membro do coletivo, Kenia Kuriki.

Imagem ilustrativa da imagem Arte de rua dá novo visual a muro de escola em Londrina Imagem ilustrativa da imagem Arte de rua dá novo visual a muro de escola em Londrina
|  Foto: Gustavo Carneiro
 

Por meio do grafite, Kuriki acredita que é possível atingir todos os públicos, desde crianças até adultos, gerando uma transformação na vida de quem é tocado pela arte. “Vivemos dias muito difíceis, principalmente depois da pandemia. Teve muita evasão, os alunos ficaram um período muito longo longe das salas de aula e o grafite vem como uma forma de acolhimento. É uma forma de convidá-los a estar naquele lugar.”  

Para fazer a arte no muro do colégio foram selecionados artistas de Londrina e de  outras cidades Para fazer a arte no muro do colégio foram selecionados artistas de Londrina e de  outras cidades
Para fazer a arte no muro do colégio foram selecionados artistas de Londrina e de outras cidades |  Foto: Gustavo Carneiro
 

O trabalho dos artistas começou no sábado pela manhã e foi acompanhado pelos estudantes, que puderam ver como é feito todo o processo. A grafitagem não parou quando o sol se pôs. Quem passou pelas avenidas Higienópolis e Juscelino Kubitschek na noite de sábado pode ver os grafiteiros ainda em ação. No domingo, eles deram continuidade ao trabalho, previsto para ser concluído no final do dia.  

Imagem ilustrativa da imagem Arte de rua dá novo visual a muro de escola em Londrina Imagem ilustrativa da imagem Arte de rua dá novo visual a muro de escola em Londrina
|  Foto: Gustavo Carneiro
 

Nesta segunda-feira (6), quando chegarem ao colégio, os alunos verão o trabalho pronto. "Os nossos alunos estavam bem tristes com o muro pintado (o cinza havia coberto o trabalho anterior de grafitagem) porque eles vivenciam demais a arte. Tive que fazer uma fala explicando que precisava pintar para proteger. Eles estavam há mais de dez dias esperando pelo trabalho dos artistas. Tenho a impressão de que amanhã (segunda-feira) vai ser um dia muito feliz. Vai ser difícil colocá-los dentro da escola”, disse a diretora que acredita que o grafite ainda irá colaborar para evitar as pichações. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.