Arcebispo aprova reza durante desfile de trio elétrico8/Mar, 17:00 Por Biaggio Talento Salvador, 08 (AE) - Rezar e entoar cânticos sacros em cima do trio elétrico, durante o carnaval baiano não é mais um tabu para a Igreja de Salvador. O arcebispo da capital baiana e primaz do Brasil, bispo d.Geraldo Majella Agnelo não viu nada de ofensivo no fato de a cantora Gil, da Banda Beijo, convidar os foliões a rezar o Pai-nosso, durante o desfile do seu bloco na Praça do Campo Grande, e Baby do Brasil, encerrar o encontro dos trios elétricos na Praça Castro Alves, cantando o Hino do Senhor do Bonfim, santo de maior devoção dos baianos. "É um bom sinal, pois prova que ainda existe alguma coisa de fé no nosso povo, que ele não esquece mesmo na hora que está mais enlevado", disse d.Geraldo, numa posição progressista completamente oposta à do seu antecessor na Arquidiocese de Salvador, o cardeal d. Lucas Moreira Neves, que transferiu-se para o Vaticano em 98. D.Lucas sempre condenava a invasão da Quarta-feira de Cinzas pelo carnaval e não admitia que os cantores de trios interpretassem músicas sacras durante a festa. O atual arcebispo também não aprova a festa na Quarta-feira de Cinzas, achando que o carnaval poderia começar antes para poupar o dia santo, mas não tem nada contra a utilização de rezas na folia e tampouco a participação dos católicos na festa pagã. "Não sou contra a alegria, a alegria faz parte do cristão e a festa é muito bela, mas deveria se encerrar antes da Quaresma", disse o arcebispo que fez sua "estréia" no carnaval baiano, depois de ser nomeado para Salvador no primeiro semestre do ano passado.