Andre Sá perde nos EUA, mas deve voltar à Davis3/Mar, 18:00 Por Chiquinho Leite Moreira São Paulo, 03 (AE) - André Sá caiu nas quartas-de-final do torneio de Delray Beach, Estados Unidos, ao perder para o austríaco Stefan Koubek por 6/1, 1/6 e 6/1. Mas esta esta derrota não apaga o brilho de seus bons resultados este ano. Quieto, como bom mineiro, conquista a cada semana espaços importantes na sua carreira. Tanto é que já é dada como certa sua volta à equipe brasileira da Copa Davis para o confronto com a República Eslovaca, de 7 a 9 de abril, no Rio. Prodígio no esporte, Sá revelou seu talento muito cedo. Aos 8 anos, influenciado pelo irmão Vinicius, interessou-se pelo tênis. Em pouco tempo já ganhava fácil os jogos em família. Aprendeu também a jogar basquete com desenvoltura e até o golfe, em poucas tacadas já causou boa impressão. Aos 13 anos, mostrou arrojo e decisão. Em certo dia, contam os país, saiu do quarto e fez um pedido: queria ir para os Estados Unidos estudar e treinar tênis. Com sacrifício e determinação, o pai, José, financiou a viagem e André foi treinar na academia Nick Bolletieri, além de ter estudado na Bradenton. Os cinco anos que passou nos Estados Unidos explicam o estilo diferente de outros brasileiros. Enquanto a maioria prefere as quadras de saibro, André se sente mais à vontade nos pisos sintéticos, como mostram seus últimos resultados: alcançou as semifinais de Memphis - quadra rápida - e quartas-de-final em Delray Beach, na mesma superfície. No ano passado, alcançou também uma façanha, vencendo uma série de torneios da categoria challenger - de premiação média a pequena - todos disputados nos Estados Unidos. Agora, em 2000, o tênis de André Sá ganhou consistência. Tanto é que é o melhor brasileiro no novo ranking da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) - a corrida dos campeões - ocupa esta semana a 53ª posição. Mas, embora, este feito venha sendo muito festejado, os verdadeiros e melhores privilégios Sá vai conseguir mesmo com sua boa posição no ranking mundial de 52 semanas, onde ocupa a 100ª posição. Entre os top cem, vai conseguir entrar direto nos principais torneios do circuito, inclusive os do Grand Slam, como Roland Garros, Wimbledon e US Open. Com 22 anos, André Sá promete ainda muito mais em sua carreira e, espera com isso, dar um bom retorno aos seus patrocinadores, como o Banco Rural que vem acreditando neste tenista há quatro anos, e outros como as raquetes Wilson e a Fila materiais esportivos.