Brasília, 01 (AE)- O número de chamadas telefônicas no reveillon ficou praticamente no mesmo nível do verificado no Natal, e não foi registrado congestionamento, segundo o superintendente de serviços públicos da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Edmundo Matarazzo. Não se verificou também nenhum problema causado pelo bug do ano 2000. "A população brasileira está de parabéns, pois atendeu ao que havíamos solicitado", comentou Matazazzo referindo-se ao deslocamento de ligações para horas antes e horas depois da virada do ano.
De acordo com o monitoramento especial feito pelo Anatel das 19h de ontem até as 3h de hoje, o pico de ligações ocorreu às 22h, quando atingiram 3,5 milhões conversações de longa distância. À meia-noite as ligações caíram para 2,1 milhões, subiram para cerca de 3 milhões por volta de 1h30 e às 2h já estavam abaixo de 2 milhões. Nos momentos de pico, segundo o superintendente, não houve grande desconforto para o usuário, pois este conseguia completar sua chamada em duas ou três tentativas.
A central de atendimento telefônico da Anatel (Callcenter) registrou entre a meia-noite de hoje e as 11h de hoje 666 reclamações, número considerado normal por Matarazzo. Os únicos problemas técnicos registrados na noite de ontem foi uma falha na interligação entre a Tess, responsável pela telefonia móvel do interior de São Paulo, com a Embratel. Mas o problema, que não tinha nada a ver com o Bug, foi resolvido pelos técnicos das empresas.
Sobre a dificuldade de se efetuar ligações com celulares em locais de grande concentração, como a praia de Copacabana, Matarazzo disse que este é um problema esperado e insolúvel, pois as centrais têm capacidade para receber um número limitado de ligações, entre 200 e 300 por estação radio-base. Mesmo com a empresa de telefonia local tendo instalado estações extras na praia, seria impossível atender a todos os portadores de celulares. "Imagine se dez por cento dos 3 milhões de presentes estivessem com celular", comentou Matarazzo. Tecnicamente este problema não é considerado congestionamento, pois o usuário não chega a iniciar o uso do serviço. O congestionamento caracteriza a ligação que é iniciada mas é interrompida no percurso. O superintendente informou que a Anatel continuará monitorando os serviços com especial atenção no dia 3, quando as empresas voltarão a funcionar.