Brasília, 18 (AE) - O presidente do Senado, Antônio Carlos Magalhães, negou há pouco que esteja defendendo a permanência do ministro da Defesa, Élcio álvares, no governo. Ele voltou a dizer que a escolha e demissão de ministros é um problema do presidente da República. ACM chegou a brincar com o caso afirmando que hoje leu nos jornais que o goleiro da Seleção Brasileira de Futebol, Dida, seria o novo ministro da Defesa. Questionado se ele permanecia hoje com a mesma convicção das últimas semanas, de que Élcio álvares permanecerá no cargo, ACM respondeu: "primeiro eu não tenho que ter convicção, nem de que permanece, nem de que não permanece. Eu sempre disse que (ministério) é escolha do presidente da República e cabe ao presidente nomear e demitir", afirmou.
Estevão - Magalhães confirmou que o parecer da Corregedoria do Senado sobre o pedido de cassação do senador Luiz Estevão recomenda que a comissão de ética só se pronuncie depois do julgamento do senador pelo Supremo Tribunal Federal. ACM disse que nâo concorda e nem discorda dessa opinião e esclareceu que o parecer não culpa e nem inocenta o senador. "O parecer não prejudica e nem ajuda. Diz apenas que não se deve cassar agora porque está tramitando (um processo) no Supremo Tribunal Federal já com denúncia do procurador-geral da República", afirmou. Ele disse ainda que está encaminhandio o parecer à comissão de ética que poderá tomar uma decisão sobre o pedido de cassação, ainda hoje.