Em Wittmarsun, a produção de leite orgânico é feita a pasto com uso mínimo de concentrado à base de milho, uma das diferenças da produção tradicional. Os produtores usam homeopatia preventiva na sanidade dos animais e, em último caso, entram com a alopatia, respeitando a carência e eliminando o leite dos animais com problemas. Todo o sistema orgânico, garante o criador Alvim Warkentin, melhora a saúde do rebanho. ‘‘Alimentado saudavelmente, um animal produz anticorpos e dá menos problemas.’’
O pasto do verão é perene e no inverno é feita a sobressemeadura de azevém e trevos. É feita a silagem de reserva para o inverno, com pasto pré-secado ou de milho, também produzido sem agroquímicos.
O grupo de Carambeí tem a certificação do IBD e espera a liberação do Ministério da Agricultura, para poder vender seu produto rotulado como orgânico. ‘‘Temos até o terreno para construir a indústria, mas não há como fazer investimentos se não podemos entrar no mercado.’’
Warkentin considera que a entrada do produto no mercado não iria afetar grandes indústrias, já que o volume de produção é pequeno, ‘‘mas pode aumentar em muito a rentabilidade dos produtores. Podemos conseguir um preço diferenciado. Hoje o custo de produção do leite orgânico está por volta de R$0,20 ou até menos. Para pagar os custos industriais do orgânico o produto deveria ter um preço cerca de 30% a 40% a mais a nível de consumidor.’’ (C.B.)