Quarentena estimula hortas e jardinagem

Procura por clientes cresceu até 60% em lojas do ramo desde o início do isolamento social

Lucas Catanho/Especial para a FOLHA
Lucas Catanho/Especial para a FOLHA

A quarentena vem estimulando as pessoas a fazerem hortas em casa e o gosto pela jardinagem em Londrina. Prova disso é que estabelecimentos do ramo apontam crescimento no fluxo de clientes de até 60% desde o início do isolamento social.


O arquiteto André Salvador: “Aproveitei que tive mais tempo livre na quarentena, já que meu horário de expediente foi reduzido. Então, fui atrás de comprar os equipamentos e instrumentos necessários para montar a horta, desde o cano PVC até a terra, areia, vasos e adubo, como o húmus”
O arquiteto André Salvador: “Aproveitei que tive mais tempo livre na quarentena, já que meu horário de expediente foi reduzido. Então, fui atrás de comprar os equipamentos e instrumentos necessários para montar a horta, desde o cano PVC até a terra, areia, vasos e adubo, como o húmus” | Roberto Custódio
 




“Grande tendência nas redes sociais, o movimento urban jungle [verde dentro de casa] também tem contribuído, despertando cada vez mais o interesse das pessoas por esse tipo de decoração”, afirmou Cristiana Zanluchi, sócia da loja Estação Garden.




Segundo ela, existem varandas de apartamentos que oferecem um ambiente ótimo para cultivo de alface, rúcula, cebolinha, salsinha, manjericão. “Essas mudas precisam de sol, mas não o dia inteiro, para elas quatro horas de sol no dia já é o suficiente”, explicou.

 

Se o espaço escolhido para o cultivo não tiver incidência de sol, Cristina acrescenta que será possível ter uma horta, mas devem ser escolhidas mudas maiores que necessitam menos de sol. “Boas escolhas são rúcula e agrião. Mas lembre-se, a vida delas será mais curta.”

 

Requisitos

Gerente comercial da Garden King, Eduardo Nogueira destaca que, ao ser feita a escolha da planta, é preciso levar em conta o espaço físico disponível, se é casa ou apartamento, se a planta ficará em ambiente externo ou interno e se haverá incidência de sol na planta.

 

“Para horta é indicado um local com ventilação natural e boa incidência de sol, podendo ser cultivadas espécies como cebolinha, salsinha, manjericão, orégano, tomilho, sálvia, alecrim”, enumerou.

 

Com relação à jardinagem em geral, Nogueira destaca que existe uma infinidade de opções próprias para casas e apartamentos.

 

“Opções para ambiente interno são orquídeas, bromélias, antúrios, Ficus lyrata, Palmeira raphis, maranta etc. Opções para ambiente externo: árvores, frutíferas, palmeiras, moreia, buxinho etc.”, citou.

 

Cuidados

Docente do curso de agronomia da Pitágoras, o engenheiro agrônomo especialista em hortaliças João Miguel Ruas explica que três fatores são imprescindíveis para que uma horta cultivada em casa seja produtiva: ambiente favorável, nutrição correta e recipientes adequados (leia mais no quadro).

Sobre as hortas em apartamento, Ruas diz que é preciso avaliar o espaço disponível e escolher plantas que se adaptam com maior facilidade à sombra.

“Procure culturas com o porte da planta compatível ao espaço escolhido. Se no local escolhido do apartamento ocorrer boa insolação, é possível plantar diversas culturas, como folhosas, leguminosas e ervas.”

Se não há muito espaço no apartamento, Ruas destaca que primeiro é preciso avaliar qual cultura escolher conforme o estilo do ambiente, lembrando ser importante a circulação de ar. “O plantio pode ser em vasos, embalagens recicladas, floreira, horta vertical ou em caixas de plástico ou madeira”, enumerou.

O docente acrescenta que plantas, como temperos e algumas ervas, exigem pouca incidência de luz e competem pouco por água, sendo indicadas para locais com pouco espaço e pouca incidência do sol.

“Já algumas variedades são mais exigentes por água, espaço, nutrição, como tomate, pimentão e pepino, e sofrem ataques de pragas e doenças, então é recomendado cultivar em locais com espaço e preferencialmente aberto.”

Quarentena verde

O arquiteto e urbanista André Salvador, 24, criou uma horta nos fundos de casa recentemente, durante a quarentena, com dez diferentes culturas – alface, rúcula, salsinha, cebolinha, alho-poró, morango, tomate-cereja, manjericão, hortelã e sálvia.

“Aproveitei que tive mais tempo livre na quarentena, já que meu horário de expediente foi reduzido. Então, fui atrás de comprar os equipamentos e instrumentos necessários para montar a horta, desde o cano PVC até a terra, areia, vasos e adubo, como o húmus”, listou.

A horta está disposta em canos de PVC pendurados na parede e em vasos. Futuramente, André pretende ampliar a horta vertical.

“Como fiz a horta junto com minha mãe, isso nos aproximou ainda mais, pois combinamos de trabalhar a manutenção de tudo juntos. É uma ótima opção para conviver e passar o tempo”, frisou.

Segundo André, a horta vem mudando a rotina, os horários e até a disposição. “Isso porque a gente precisa ser regrado, afinal, as plantas devem ser regadas todos os dias. Então, nosso cronograma deve se adequar à rotina das plantas. Não podemos regá-las quando estão com sol, mas, sobretudo, quando já está sombra, de noite, para não prejudicá-las. E a gente fica até mais disposto, ansioso mesmo por vê-las crescer!”, conclui.

A decisão de André criar uma horta influenciou amigos, clientes e a namorada, a estudante de medicina Giovanna Spagnuolo, 23, que também já fez uma horta em casa durante a quarentena.

“Era um canteiro que estava lá parado, com algumas pedras, sem vida. De repente, foi transformado numa linda horta! Eu não tinha nenhuma planta antes e a quarentena deu o start”, comemora. O local cheio de pedras foi revitalizado após Giovanna e André comprarem uma terra apropriada e já adubada.

Giovanna optou por plantar verduras (alface, almeirão, rúcula, couve) e, segundo ela, “temperinhos que não podem faltar” – salsinha, cebolinha, manjericão e hortelã. “Plantei tomate-cereja e morango também, vamos ver se vai dar certo!”.

Giovanna já descobriu que acompanhar o desenvolvimento das plantinhas é algo muito prazeroso e que acaba sendo uma terapia.

“Ainda não desfrutamos da nossa horta, mas com certeza nos fará valorizar mais o alimento, sem contar que poderemos substituir o uso de sabores artificiais pelos temperos naturais e orgânicos. É uma forma de nos estimular a consumir mais vegetais e a criar hábitos de alimentação mais saudáveis, com garantia da procedência, sem agrotóxicos”, concluiu.



URBAN JUNGLE 


Como fazer uma horta em casa? 


A quarentena vem estimulando as pessoas a fazerem hortas em casa e o gosto pela jardinagem em Londrina


Confira as dicas:


1) Ambiente favorável


- Luz natural 


- Ventilação 


- Temperatura ambiente (evitar locais com frio ou calor intenso)


- Escolher local onde o acesso para irrigar fique fácil (evitar água parada)


2) Nutrição correta


- Solos preparados para cultivo de hortaliças


- Fertilizantes 


3) Recipientes adequados


- Espaço suficiente para o sistema radicular (raízes) se desenvolver


- Abertura para drenagem da água


Vilões


- Solo com pouca disponibilidade de nutrientes 


- Falta de água


- Circulação de animais próximos das plantas


- Recipientes sem furos por onde o excesso de água possa escoar


- Colocar plantas diferentes no mesmo recipiente


Fonte: Engenheiro agrônomo João Miguel Ruas




 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias